Uber lança ferramenta para proteger dados de seus usuários

Por Redação | 13 de Julho de 2017 às 17h17

A proteção de seus usuários é um dos principais pilares da Uber em sua atual etapa de reorganização. E isso inclui até mesmo a ocultação dos dados dos clientes dos olhos dos próprios funcionários, como mostra uma funcionalidade revelada nesta quinta-feira (13) pela companhia, que vai tornar anônimas até mesmo as informações sobre hábitos de uso durante pesquisas internas.

É um recurso conhecido como privacidade diferencial, já usado por empresas como Google e Apple, por exemplo, para coletarem telemetria e informações sobre os usuários de suas plataformas sem que a identidade deles seja revelada. Na Uber, isso é necessário devido ao tipo de informação sensível com a qual a empresa lida – dados de cartão de crédito, gastos, localização geográfica, trajetos e tudo mais.

O sistema da Uber, chamado de “sensibilidade elástica”, foi criado em parceria com a Universidade da Califórnia, Berkeley e utiliza inteligência artificial para detectar exatamente quão invasiva é a pesquisa que está sendo feita por um analista da empresa. De acordo com isso, a plataforma é capaz de gerar ruído na informação, entregando os dados de maneira precisa, mas impossibilitando que eles sejam rastreados de volta.

Digamos que a empresa deseja conhecer os hábitos dos usuários de uma cidade, como trajetos mais comuns, horários de pico ou duração média de corridas. Originalmente, os analistas teriam acesso direto às informações dos clientes, mas agora, o sistema é responsável por isso, compilando os dados e entregando resultados.

Quanto maior a especificidade das informações requeridas, maior o nível de ruído. Sendo assim, os analistas não saberão dados de utilizadores de uma cidade enorme, como São Francisco, nem de um município pequeno ou de pouca utilização, ou caso exijam pesquisas bastante restritas como “quantas corridas foram realizadas no centro durante a madrugada”, por exemplo.

Além do sistema em si, avisos visuais serão exibidos aos especialistas para alertá-los de que suas pesquisas podem representar riscos à privacidade dos usuários. É uma mudança que, para Uber, não representa apenas um incremento na privacidade, mas também otimiza o trabalho, já que, antes, os analistas deveriam verificar os dados para retirada de informações sensíveis.

A companhia se mostra tão empolgada com a nova tecnologia que tornou sua plataforma de “sensibilidade elástica” de código aberto, liberando os desenvolvimentos para quem quiser usá-la. Os arquivos já estão disponíveis para desenvolvedores e a Uber espera vê-los sendo utilizados por mais empresas que desejem dar ênfase à privacidade dos usuários.

Fonte: Gizmodo, Uber (GitHub)

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.