Tentativas de ataques a redes corporativas crescem 339% no primeiro trimestre

Por Redação | 07 de Maio de 2015 às 18h00
Divulgação

As empresas precisam se preocupar cada vez mais com a segurança dos seus dados. De acordo com um levantamento inédito realizado pela empresa de segurança digital Arcon, as tentativas de ataques a redes corporativas no Brasil aumentaram 339% nos três primeiros meses do ano, se comparado com o mesmo período de 2014.

No primeiro trimestre do ano passado foram registrados 76.533 ataques, e entre janeiro e março deste ano o número subiu para impressionantes 259.421. Antes as tentativas de ataques representavam 19% dos incidentes de segurança, mas chegaram a 71% nos três primeiros meses do ano. Somente em janeiro de 2015 foram registradas mais tentativas de ataques do que durante todo o primeiro trimestre de 2014.

O estudo apontou ainda que as principais ameaças são os Worms, programas semelhantes a vírus e que possuem a capacidade de se autorreplicar. Enquanto os Worms foram responsáveis por 48% das ameaças, as tentativas de entrada não autorizada a um computador ou rede também se destacaram, com 39% dos relatos.

Assista Agora: Gestor, descubra os 5 problemas que suas concorrentes certamente terão em 2019. Comece 2019 em uma nova realidade.

“Se no início de 2014, a maior preocupação das equipes de segurança da informação era manter as empresas livres de vírus e outros tipos de malwares (códigos maliciosos), o cenário em 2015 é muito mais preocupante e requer ainda mais atenção para que as tentativas de ataques não obtenham sucesso e se tornem uma invasão efetiva, resultando em violações com danos, como a perda de credibilidade ou financeira”, diz Wander Menezes, especialista em Segurança da Informação do Arcon Labs. Para o especialista, a espionagem virtual, os ataques internos, vírus e phishing são os tipos de ameaças que demandam grande atenção este ano.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.