Snowden revela que NSA rastreia localização de celulares em todo o mundo

Por Redação | 28.06.2016 às 09:50

A NSA (Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos) tem reunido diariamente cerca de 5 bilhões de registros de celulares em todo o mundo, permitindo acompanhar os movimentos das pessoas, mapear seus relacionamentos e colher informações sensíveis sobre esses indivíduos. As informações foram reveladas em mais um documento divulgado por Edward Snowden, ex-funcionário da NSA, e confirmado por alguns funcionários da agência.

Os registros alimentam um vasto banco de dados que armazena informações sobre a localização de centenas de milhões de dispositivos. Um funcionário da NSA afirmou que a agência está "recebendo grandes volumes" de dados de localização a nível mundial, tanto de celulares estadunidenses quanto de aparelhos no exterior. Além disso, os dados de milhões de norte-americanos que viajam para o exterior com seus dispositivos móveis todos os anos são frequentemente colhidos e analisados pela agência.

Os analistas da NSA podem encontrar celulares em qualquer parte do mundo, analisar informações e registros de localização e expor relações ocultas entre pessoas, bem como realizar interceptações telefônicas. As autoridades norte-americanas afirmam que os programas utilizados na coleta e análise dos dados de localização são legais e destinados estritamente a desenvolver inteligência sobre alvos estrangeiros. Robert Litt, conselheiro-geral do escritório do Diretor de Inteligência Nacional, que supervisiona a NSA, declarou que "não há nenhum elemento da comunidade de inteligência que, sob qualquer autoridade e intencionalmente, recolha informações de localização em massa de celulares nos Estados Unidos".

Ainda que a NSA não tenha nenhuma razão para suspeitar da esmagadora maioria dos usuários de celulares no mundo, a agência recolhe dados de localização em massa, já que suas ferramentas de análise, conhecidas como Co-Traveler, permitem esse tipo de trabalho e cruzam informações de diferentes indivíduos na busca por informações que sejam importantes para a segurança do país.

No entanto, como alguns dos documentos publicados por Snowden afirmam, a aquisição de dados de localização de clientes que utilizam duas redes móveis diferentes não são tão simples de correlacionar. Em um experimento realizado em outubro de 2012 como parte do treinamento de análise de contraterrorismo da NSA, os analistas declararam ser difícil relacionar um usuário na rede T-Mobile com um da Verizon. Questionado sobre o assunto, um funcionário da inteligência dos EUA disse que o exemplo não condiz com a finalidade do programa. As empresas mencionadas também se recusaram a comentar sobre o assunto, ressaltando que não há nenhuma confirmação de que qualquer empresa coopera com a NSA.

Os documentos disponibilizados por Snowden não fornecem o número exato de americanos e pessoas no exterior que tenham suas localizações rastreadas como parte do programa de coleta de dados da NSA. De acordo com especialista de inteligência e um porta-voz da agência, é difícil "tentar fornecer quaisquer números específicos" sobre quantas pessoas estão sendo rastreadas. Chris Soghoian, tecnólogo da American Civil Liberties Union, disse que a "única maneira de ocultar a sua localização é se desconectar do nosso moderno sistema de comunicação e viver em uma caverna".

Fonte: The Washington Post