Sites adultos representam metade das páginas que contêm malwares de mineração

Por Redação | 12 de Fevereiro de 2018 às 13h00

Um estudo recente revelou que o grande foco atual de malwares de mineração de criptomoedas são os domínios de páginas de conteúdo adulto, representando 49% de todos os sites que realizam este tipo de prática.

Os dados foram divulgados pela empresa chinesa 360NetLab, que realizou a análise dos padrões de tráfego da internet e concluiu que páginas de pornografia, embora sejam apenas uma parcela de toda a rede, representam a maior parte dos sites que se utilizam de códigos de mineração sem o consentimento de seus visitantes.

Malwares de mineração de criptomoedas são softwares que ficam escondidos em partes específicas de sites mal-intencionados e se instalam de forma furtiva na máquina da vítima, utilizando parte do poder de processamento da máquina para realizar a mineração, reduzindo consideravelmente o desempenho do computador.

Ainda de acordo com as informações divulgadas, dos 300 mil websites mais acessados, 629 deles continham malwares de mineração escondidos em seus códigos de programação. Também foi constatado que o script de mineração mais utilizado pelas páginas é o Coinhive, representando 57% da fatia, seguido de outras ferramentas como Jsecoin, Webmine e Cryptoloot.

Há uma grande controvérsia acerca da prática da mineração, pois ao mesmo tempo que muitas pessoas defendem que esse tipo de prática é completamente invasiva e deveria ser feita com o consentimento do usuário, companhias como a International Business Times alegam que este tipo de atividade não é considerada ilegal na maioria dos países. Alguns poucos sites defendem as atividades de mineração nas páginas como uma forma de monetização alternativa, algo que normalmente ocorre por meio de anúncios e publicidade.

No entanto, não há motivos para pânico. A maioria dos malwares presentes em páginas suspeitas são facilmente barrados por softwares de segurança cibernética conhecidos no mercado, bastando apenas garantir que o seu antivírus esteja sempre atualizado, bem como os updates do seu sistema operacional.

Fonte: DigitalTrends360NetLab

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.