Segurança e alta performance: como garantir sucesso de vendas na Black Friday

(Imagem: busca online)

*Por Guilherme Araújo

Todo fim de ano é igual: empresas dos mais variados segmentos e portes disputam a atenção dos consumidores com ofertas especiais e promoções atrativas. Mas poucas companhias se lembram de que, além de preços e estoques, essa época exige alta performance operacional, dentro das lojas e, cada vez mais, também no ambiente digital. Afinal de contas, para não perder vendas na Black Friday ou no Natal, o primeiro passo é garantir que as rotinas dos negócios estejam protegidas contra qualquer tipo de interrupção.

Mas como as empresas podem se preparar? O ponto de partida é entender que, durante um período de grande tráfego de vendas, como em datas comemorativas, as operações estarão mais suscetíveis a picos de trabalho que, provavelmente, exigirão muito mais performance e flexibilidade da infraestrutura de rede. Estudos indicam que a demanda de Internet e tráfego de dados pode ser até 100% superior, em alguns segmentos, na comparação direta com outras épocas do ano.

Por isso, é sempre recomendado que os líderes de negócios e de TI chequem todos os links e sistemas de conexão, além de avaliar a capacidade de ativos de rede como o switch e firewall. São essas estruturas, em síntese, que terão de suportar a carga extra de conexão. Antes de qualquer coisa, é importante analisar e mapear o ambiente de rede, identificando possíveis brechas e vulnerabilidades que possam provocar falhas ou interrupções da operação.

Uma recomendação bastante importante é que as companhias evitem mudanças na estrutura de rede perto das principais datas de venda - 30 dias antes do evento, de preferência. Conhecida como Freeze Period (Tempo de Congelamento), essa tática permite mitigar possíveis instabilidades.

Vale dizer que a alta performance da rede exige um comprometimento contínuo com a evolução dos sistemas e tecnologias e não apenas uma ação improvisada e de última hora. Construir planos estratégicos que avaliem as demandas de todo o calendário e priorizem as iniciativas mais adequadas a cada período é, certamente, o melhor meio para atingir elevados padrões de eficiência e desempenho das redes de tecnologia, seja dentro das lojas ou no universo on-line.

O plano de gerenciamento e melhoria das redes, contudo, não deve observar apenas a performance dos ativos e links. Em tempos de comércio eletrônico e interações digitais, é imprescindível que as companhias também busquem soluções que promovam a segurança das informações. Pesquisas apontam que as empresas brasileiras perderam, em média, US$ 1,2 milhão no último ano com violação de dados – e essas ameaças, sem dúvida, se tornam ainda mais constantes e perigosas em épocas de alta movimentação de informação.

Nesse contexto, é importante saber quais são as ameaças e riscos mais comuns e como a organização pode se proteger. Isso exige, entre outras coisas, que a empresa tenha uma equipe de segurança preparada para analisar os dados, que os líderes definam planos de segurança ajustados às características do negócio e, ainda, que o conhecimento para evitar vazamentos e roubos de informação seja disseminado entre todos os colaboradores da empresa. Estima-se que quase dois terços dos incidentes digitais comecem, justamente, por erros de processos e pela negligência das pessoas, abrindo espaço para os ataques de phishing, com o envio de iscas maliciosas e falsas para os usuários.

Outra tarefa importante é preparar o ambiente para receber o ataque – o que vai reduzir os efeitos de qualquer tentativa de invasão. Os hackers, sobretudo nessa época do ano, costumam ampliar suas ações, buscando vulnerabilidades nos servidores, sites e plataformas, em situações que podem provocar a captura dos dados dos clientes e, além disso, tirar a loja virtual completamente do ar.

Ao adotar uma infraestrutura de segurança adequada, as empresas diminuem as chances de ver suas operações interrompidas por iniciativas maliciosas, bem como protegem seus clientes contra outros tipos de ameaças on-line. Hoje já existem soluções de firewall capazes de detectar automaticamente se há uma demanda de tráfego incomum em um site específico, ajudando a neutralizar ataques e impedir, quase que totalmente, os riscos de uma invasão.

Outra tecnologia que merece destaque é a solução de proteção avançada contra malware (ATP, de Advanced Threat Protection, em inglês), que reúne inteligência de cibersegurança para identificar múltiplas técnicas de ataque e oferece proteção abrangente para ameaças conhecidas, desconhecidas e direcionadas, com alta precisão.

Momentos de grande alta nas vendas, como a Black Friday, requerem tecnologia e inovação constante. Essa preparação deve ser feita de forma contínua, sempre buscando soluções e serviços que garantam o máximo desempenho e segurança da estrutura disponibilizada aos clientes – e para a rotina dos negócios. O sucesso das vendas não depende apenas de promoções, mas também de ambientes confiáveis e seguros.

*Guilherme Araújo é diretor de serviços da Blockbit, empresa especializada no desenvolvimento de produtos de cibersegurança

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.