Segurança corporativa. Como fazer?

Por Colaborador externo | 16 de Junho de 2015 às 07h54

Por Fernanda Quintero*

Para transmitir credibilidade e confiança em um ambiente corporativo e não comprometer as informações sigilosas de uma empresa é importante ter alguns princípios de segurança. Por acharem que estão em um ambiente 100% seguro, as pessoas costumam relaxar e acabam não se preocupando, quando na verdade os maiores contaminadores são os e-mails.

Em 2014 ocorreram vários ataques às empresas e órgãos governamentais, mas em 2015 é preciso ainda mais atenção, pois pode se destacar que as invasões em backup de nuvem vão aumentar. A tendência é cada vez mais arquivar documentos e informações em nuvens, por isso, o foco dos invasores está se voltando, por exemplo, para variações do ransomware.

Dispositivos móveis também ajudam no aumento do risco de segurança, ainda mais se a nuvem for compartilhada com o dispositivo. Para prevenção, é indispensável o uso de ferramentas e criptografia, incluindo o certificado digital SSL para comunicações seguras. Uma auditoria também auxilia para o entendimento do nível de risco.

É preciso educar cada vez mais as empresas, clientes e consumidores finais a se preocuparem com a segurança no meio corporativo, não somente nos e-commerces. É recomendável que as empresas utilizem uma suíte de ferramentas para garantirem maior segurança, como gestão de vulnerabilidades, testes de invasão, firewall de aplicação, certificado digital, entre outros serviços.

Cada vez mais, as empresas estão investindo em tecnologia avançada para arquivar informações, se não houver precaução e o gerenciamento de vulnerabilidade ficará mais fácil invadir os sistemas internos das corporações.

As empresas estão evoluindo no entendimento dos problemas que a falta de proteção pode causar e como as informações digitais depois de serem roubadas por diversos ataques podem se transformar em prejuízo financeiro. Proteger as informações pode ser abstrato para as pessoas e, para que a mensagem seja transmitida corretamente e entendida pelos diretores da empresa, é necessário enfatizar os riscos como danos à reputação da empresa e perdas financeiras.

A análise de riscos de segurança é a parte fundamental do processo de proteção de dados. Isso implica em diversas medidas para avaliar o nível de proteção da infraestrutura na qual são realizadas operações que envolvem informações para o negócio. A segurança de informações no setor financeiro tem como base a documentação do próprio segmento, que é composta por vários padrões de sigilo organizacionais. Esses documentos são baseados nos métodos de avaliação de riscos de segurança de informações, que serão diferentes para cada área de atividade da empresa. No final de tudo, seja qual empresa for, qual segmento atue ou qual tamanho do seu faturamento, todas as corporações precisam de segurança corporativa para privar seus dados e evitar maiores problemas.

*Fernanda Quintero, webwriter responsável por toda produção de conteúdo da maior empresa de segurança para e-commerce da América Latina, a Site Blindado.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.