Segurança: a aliada dos setores de telecom e data center

Por Colaborador externo | 26 de Junho de 2015 às 08h45

Por Marcos Ferreira*

Os setores de data center e telecomunicações enfrentam muitos desafios em comum no cenário atual. Um dos principais é a demanda por serviços e aplicações 24 horas por dia, de qualquer lugar. Isso vale tanto para um usuário final, que quer assistir a vídeos no smartphone enquanto está a caminho do trabalho, quanto para empresas e usuários corporativos, que dependem deste acesso para garantir a produtividade de seus negócios.

Com o avanço da tecnologia e mobilidade, aparecem mais desafios e problemas para serem resolvidos. As operadoras e provedoras de serviços precisam entender e acompanhar o ritmo de seus clientes, cada vez mais exigentes. Os data centers precisam garantir disponibilidade a todo o tempo, acompanhando o ritmo desenfreado de informações, além de evitar a perda de dados em situações críticas. Por fim, a infraestrutura precisa ser capaz de suportar tudo isso.

Mas um dos grandes desafios dessas áreas - talvez subestimado - é a segurança. De nada adianta oferecer um serviço inovador, tecnológico e acessível, se usuários e empresas correm o risco de terem seus equipamentos infectados com malwares.

Os consumidores e as corporações não sentem falta da segurança até que um ataque aconteça. E a previsão é de que os ataques aumentem e fiquem mais sofisticados conforme o avanço da tecnologia. Atualmente, o McAfee Labs detecta 387 novos malwares por minuto.

Uma das prioridades dos setores de telecomunicações e data center deve ser que empresas e usuários “esqueçam” da segurança, mas no bom sentido. Ou seja, que confiem nas soluções que contrataram e que não precisem se preocupar com riscos e perda de dados. Um usuário não precisa saber se tem que atualizar um software embarcado, e sim aproveitar sua experiência de uso sem impactos, seja em casa ou na empresa.

Para que isso seja possível, é essencial que as soluções de segurança, principalmente corporativas, entendam a dinâmica das companhias. Elas não podem ser uma barreira ou dificuldade que a empresa precisa lidar, mas sim aliadas do negócio.

Felizmente, hoje já existem soluções mais flexíveis, capazes de se moldarem de acordo com a necessidade da empresa. A chave para isso é a integração, que permite que produtos se comuniquem para que as informações de diferentes camadas sejam analisadas e a melhor decisão possa ser tomada.

Sempre vai haver o desafio de identificar as áreas que trarão um retorno positivo, e ser mais seletivo em relação a isso é uma forma inteligente de lidar com o negócio. Do outro lado, a equipe de TI tem a dificuldade de justificar o retorno de investimento das ferramentas que utiliza, inclusive as de segurança, e muitas vezes, as soluções são vistas apenas como um custo.

A saída, neste caso, é mostrar para a equipe de orçamento como tais ferramentas podem amenizar riscos, aumentar a produtividade e reduzir custos. Mesmo em um cenário de crise econômica, as áreas de data center e telecomunicações não podem deixar de investir em segurança. Enquanto deixar de fazer isso pode resultar em um incidente ou mesmo levar a empresa a falhar. Investir numa solução integrada pode aumentar a capacidade e maturidade dos negócios, consequentemente gerando um retorno sobre investimento positivo.

*Marcos Ferreira é engenheiro de sistemas da Intel Security

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.