Processadores da Intel apresentam nova falha de segurança

Por Felipe Demartini | 07 de Agosto de 2019 às 13h35
Tudo sobre

Intel

Saiba tudo sobre Intel

Ver mais

Uma nova falha generalizada de segurança foi descoberta nos processadores da Intel, atingindo praticamente todos os modelos disponíveis para os mercados corporativo e consumidor. Laptops, PCs e servidores são suscetíveis à brecha, que é semelhante às falhas Spectre e Meltdown que assombraram os usuários de produtos da fabricante no começo do ano passado.

Mais uma vez, a vulnerabilidade está em uma tecnologia de execução especulativa dos chips, usada para tentar prever o comportamento do sistema iniciando processos antes do próprio usuário, de forma a tornar o processamento mais ágil. A brecha está no uso do cache dessa rotina, que, quando explorado, permite a abertura de um canal paralelo que dá acesso ao kernel do sistema operacional.

A partir daí um atacante teria acesso a todas as informações das plataformas, realizando operações de espionagem e roubo de dados. De acordo com os especialistas da Bitdefender, responsáveis pela descoberta da brecha, trata-se de um ataque bastante complexo e arrojado, exigindo conhecimento profundo de detalhes sobre chips e o funcionamento do sistema operacional, o que o torna difícil, mas possível e perigoso nas mãos erradas.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A exploração ainda seria capaz de ultrapassar os métodos de proteção já utilizados pela Intel para, no passado, resolver as falhas Spectre e Meltdown. Descobertas em 2018, as brechas geraram caos no mercado de informática justamente por seu caráter generalizado, atingindo praticamente todos os processadores da fabricante em operação e exigindo ações rápidas e atualizações complexas para que os usuários, principalmente do setor corporativo, se protegessem.

O lado bom da brecha da vez é que, antes de sua divulgação pública, a Bitdefender avisou a Intel e um update para corrigir a nova brecha já está disponível. A atualização pode ser baixada pelos usuários e serve como acessório para correções também já feitas no Windows e no Linux, que impedem a utilização maliciosa do kernel dos sistemas a partir da vulnerabilidade.

Por isso, a recomendação é que todos mantenham suas plataformas em dia, com atualizações que incluem também firmwares de processadores, placas e outros sistemas. Além disso, a ativação de softwares de segurança também é um bom caminho para evitar ser vítima de ataques desse tipo.

Fonte: Bitdefender

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.