Perder fotos é pior do que um acidente de carro para muita gente, revela estudo

Por Redação | 19 de Abril de 2017 às 11h40

Tirar fotos ou filmar algo é quase que uma extensão padrão da maioria das experiências vividas por todos nós atualmente. Apesar da popularidade de serviços de fotos que apagam conteúdos depois de 24 horas, muitas fotos são feitas para durar, assim, perdê-las é algo que ninguém deseja.

Segundo uma pesquisa feita pela Kaspersky Lab, a perda de fotos digitais é considerada mais angustiante do que um acidente de carro. Este fator ficou em terceiro lugar no nível de angústia, atrás apenas da doença de um familiar e da perda ou roubo de um dispositivo móvel. A importância das fotos fica evidente diante do fato de que 49% dos entrevistados afirmaram que os dados mais preciosos armazenados em seus celulares são as fotos particulares e sigilosas, bem como as fotos de seus filhos e cônjuges.

Além disso, 45% das pessoas contaram não conseguir substituir fotos e vídeos de suas viagens em caso de perda. Outros 44% afirmaram o mesmo em relação às fotos dos filhos, enquanto 40% garantem não ter como repor as suas próprias fotos se por acaso elas forem extraviadas.

“O experimento mostrou resultados interessantes e que valem a reflexão: embora as pessoas acreditem entender o valor de seus dados, o valor afetivo não se reflete em suas ações do dia a dia”, afirma o chefe de negócios ao consumidor da Kasperksy Lab Andrei Mochola. “Por um lado, as pessoas parecem saber quais tipos de dados são mais importantes para elas e acreditam que seria muito penoso perder suas memórias digitais, por exemplo, suas fotos.”

Como não perder as suas fotos

Além de trazer dados reveladores sobre como as pessoas dão importância às fotografias que guardam em seus dispositivos eletrônicos, a Kaspersky Lab também elaborou quatro dicas importantes para você não perder as suas fotos. São elas: proteger o seu gadget com senha ou outro método de bloqueio, fazer backup regular de suas fotos (tanto na nuvem quanto em outro dispositivo), usar uma solução de segurança eficaz e, por fim, evitar conectar o seu dispositivo móvel via USB em computadores desconhecidos (isso pode expor seu portátil a malwares).