Participantes da MWC são descuidados com segurança, mostra experiência

Por Redação | 22 de Fevereiro de 2016 às 12h35

A Avast, empresa especializada em segurança digital, revelou os resultados de sua experiência envolvendo a invasão com Wi-Fi no Aeroporto de Barcelona, realizada no final de semana anterior à abertura do Mobile World Congress. O objetivo da experiência é demonstrar como as pessoas estão correndo riscos em redes Wi-Fi públicas. A experiência, realizada por pesquisadores de segurança da Avast, revelou que milhares de visitantes de eventos deixam seus cuidados de lado ao buscarem uma conexão de Wi-Fi pública, correndo o sério risco de serem espionados e sofrerem a intrusão de cibercriminosos em seus dispositivos.

Os pesquisadores da Avast criaram redes Wi-Fi perto do balcão de registro do MWC no Aeroporto de Barcelona. Os nomes utilizados nas redes foram "Starbucks", "Airport_Free_Wifi_AENA" e "MWC Free WiFi". Com os dispositivos móveis geralmente configurados para se conectarem automaticamente às redes, os usuários frequentemente são negligentes com as redes nas quais estão se conectando. Embora conveniente, isso pode trazer o risco de que alguém seja espionado por cibercriminosos que tinham aberto uma rede Wi-Fi aparentemente confiável.

Em apenas 4 horas de experiência, a Avast conseguiu coletar mais de 8 milhões de pacotes de dados em tráfego e descobriu algumas curiosidades sobre os aparelhos que se conectaram às redes. Cerca de 50,1% dos que se conectaram tinham um dispositivo da Apple, enquanto 43,4% tinham um aparelho Android e 6,5% um Windows Phone. No tempo que utilizaram as redes Wi-Fi criadas pela Avast, 61,7% realizaram alguma busca no Google ou checaram seus emails no Gmail. Cerca de 14,9% visitaram o Yahoo, enquanto 2% visitaram o Spotify. Foi constatado que 52,3% possuem o app do Facebook e apenas 2,4% do Twitter. Em 63,5% do total, a Avast pode visualizar a identidade do dispositivo e de seu usuário.

"Muitas pessoas reconhecem que navegar na internet por uma rede Wi-Fi aberta não é seguro. No entanto, algumas dessas mesmas pessoas não se dão conta de que seus dispositivos podem estar se conectando automaticamente a uma rede Wi-Fi, a menos que elas desliguem esse recurso", disse Gagan Singh, presidente de mobile da Avast. "Com a maioria dos visitantes do Mobile World Congress vinda do exterior, não é de espantar que muitos optem por conectar-se a redes Wi-Fi gratuitas para economizar, ao invés de usar os serviços de dados em roaming das operadoras. Para poderem fazer isso com segurança, as pessoas devem utilizar um serviço de VPN, que oculta seus dados ao se conectarem em hotspots públicos, garantindo que a conexão seja segura".

No MWC, a Avast está dando a oportunidade dos visitantes assumirem uma cadeira e o computador de um hacker e visualizar dados que estão circulando sem criptografia em uma rede Wi-Fi.