Microsoft promete mais segurança no Windows 10

Por Redação | 22 de Abril de 2015 às 15h35
photo_camera Divulgação

Os problemas de segurança sempre foram uma barreira para usuários de PCs, que normalmente precisam de serviços e softwares de outras empresas para manter o ambiente digital mais seguro. Enquanto as outras plataformas também vêm sendo afetadas numa escala maior ao longo dos últimos anos, a Microsoft vem mostrando mais empenho para fazer a próxima versão de seu sistema operacional, o Windows 10, mais hostil para os malwares.

Para isso, a companhia está investindo em novas medidas que podem dificultar a vida dos criadores de malwares. O vice-presidente da Microsoft, Scott Charney, adiantou três características que podem tornar o Windows 10 mais seguro que suas versões anteriores. Os itens foram apresentados no evento RSA Conference, que debate nesta semana problemas e soluções em criptografia e segurança da informação, em São Francisco.

O primeiro novo recurso é o Device Guard, projetado para empresas e organizações decidirem, num ambiente destacado do sistema operacional, se um aplicativo ou arquivo executável é confiável. Com um processo realizado com o uso de tecnologia de hardware e virtualização, a ferramenta pode impedir que mesmo os usuários com poderes administrativos no sistema possam incluir malwares na plataforma. Com isso, a Microsoft cria uma camada a mais de segurança para evitar casos como o da Lenovo, flagrada recentemente instalando adwares em máquinas novas.

Segundo a Microsoft, mesmo com o Device Guard tomando medidas próprias para evitar mudanças no sistema operacional, o usuário ainda continua com amplos poderes administrativos. A companhia afirmou que a ferramenta vai apenas notificar o usuário, que então terá a decisão final sobre a permissão de execução do aplicativo. A empresa não detalhou exatamente como vai manter o equilíbrio sobre esse controle, então fica a expectativa para saber mais sobre isso em breve.

As outras duas medidas de segurança são ferramentas já conhecidas de usuários de dispositivos móveis. Com o poder combinando do Windows Hello e do Microsoft Passport, o Windows 10 terá suporte à entrada de credenciais usando parâmetros biométricos, como impressão digital e rastreamento da íris, bem como reconhecimento facial por meio de câmeras como a Realsense 3D, da Intel.

A Microsoft sabe que somente essas medidas não serão suficientes para manter o Windows 10 completamente seguro, contudo, a companhia acredita que a organizações que aderirem aos novos recursos "vão ajudar a eliminar algumas das táticas mais comuns que vêm sendo usadas contras elas", diz a empresa em seu blog.

Via Digital Trends.

Fonte: http://www.digitaltrends.com/computing/microsoft-windows-10-passport-hello/

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.