10 motivos que te tornam vítima de golpes no smartphone

Por Redação | 14 de Março de 2017 às 12h30

Se você acompanha o noticiário de tecnologia diariamente, certamente tem percebido que cada vez mais os cibercriminosos vêm concentrando esforços em golpes que envolvem dispositivos móveis. Pensando nisso, a ESET resolveu mapear o mercado para entender o que tem motivo o crescimento desse tipo de golpe.

De acordo com a empresa de segurança da informação, na América Latina, contribui bastante o fato de 69% dos usuários não usarem soluções de segurança em seus aparelhos. Mas essa não é a principal razão. Confira abaixo os dez motivos que vêm levando ao aumento de golpes nesse tipo de equipamento:

1. Concentração de dados

Cada vez mais as pessoas utilizam mais seus smartphones e tablets para armazenar dados e informações sensíveis. Isso associado à maior quantidade de aplicativos que pedem acesso a esses dados é uma mina de ouro para um cibercriminoso que busca roubar identidades.

2. Transações bancárias

Não há como negar que nosso relacionamento com bancos e instituições financeiras mudou drasticamente com o advento dos aplicativos e dispositivos móveis. Mas isso também despertou a atenção dos cibercriminosos, que tentam se aproveitar dessas plataformas para obter acesso às contas corrente e poupança dos incautos.

3. Preenchimento automático de informações

Com tantos aplicativos de redes sociais, serviços de streaming e banco, é comum que o usuário não consiga lembrar de todas as suas credenciais de acesso. Por esse motivo, normalmente o que fazemos é pedir para o dispositivo móvel armazenar aqueles dados para que não tenhamos de ficar inserindo eles a todo momento. O problema é que isso representa um risco à segurança da informação, principalmente se o dispositivo for perdido, roubado ou infectado por algum software malicioso. Para evitar esse contratempo, o ideal é instalar um gerenciador seguro de senhas.

4. Localização do usuário

Em muitos casos o uso do GPS parece inofensivo e as pessoas tendem a permitir que apps e serviços acessem sua localização a qualquer momento para exibir ofertas, promoções e descontos. O problema é que a geolocalização obtida por esses aplicativos pode ser interceptada por indivíduos mal-intencionados e acabar sendo usada para fins escusos.

5. Uso do Bluetooth

Embora já esteja nos dispositivos móveis há anos e possa parecer inofensivos, o Bluetooth também pode servidor de porta de entrada para os crackers. É o caso, por exemplo, do Bluesnarfing, um tipo de ataque que utiliza a tecnologia e permite o acesso não autorizado às informações privadas de um dispositivo móvel, bem como remover ou modificá-las; e do Bluebugging, que permite que o criminoso assuma o controle total do telefone.

6. Aplicativos de comunicação

A popularização dos apps de comunicação instantânea tem incentivado os cibercriminosos a desenvolverem diversos golpes voltados a enganar esses usuários para obter vantagens financeiras. É só dar uma olhada nas notícias dos últimos meses para ver quantos golpes envolvendo o WhatsApp foram divulgados internet afora.

7. Spam

A disseminação do uso de smartphones também contribuiu para que cibercriminosos os utilizassem para enviar spams. E isso acontece porque dificilmente os provedores de serviços conseguem rastrear, identificar e bloquear esses aparelhos nesse tipo de ataque.

8. Usuários vivem perigosamente

Apesar de muita gente já estar calejada das dicas de segurança para desktops, há uma parcela gigantesca que ainda esquece de alguns cuidados básicos com os smartphones e tablets. O resultado disso são cada vez mais pessoas caindo em golpes que envolvem a instalação de ransonware e que se veem sem poder acessar suas informações no dispositivo a não ser que paguem uma determinada quantia aos cibercriminosos.

9. Falhas de segurança corporativas

O BYOD já se tornou uma das maiores tendências do mundo corporativo. Tanto é que um estudo de 2015 apontou que 74% das empresas já adotaram ou planejam adotar essa prática. O problema é que os dispositivos podem representar uma porta de entrada ideal para o roubo de informações corporativas valiosas caso não estejam protegidos adequadamente.

10. Políticas de segurança corporativas

Ainda falando de BYOD, a prática causou muitas dores de cabeça para um grande número de empresas, sobretudo devido à dificuldade para implementar políticas de segurança claras e a natureza fragmentada de algumas plataformas móveis.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.