Kaspersky anuncia plataforma para proteção de ataques avançados e direcionados

Por Rafael Romer | 20.06.2016 às 17:31

A Kaspersky Lab anunciou nesta segunda-feira (20) o lançamento da Kaspersky Anti Targeted Attack Platform (KATA) no mercado brasileiro, uma nova solução de segurança voltada para monitoramento de redes corporativas e detecção dos chamados ataques direcionados e ataques avançados.

A KATA atua de forma integrada à rede da empresa, funcionando por meio de sensores de rede, web e e-mail que detectam qualquer tráfego incomum de dados dentro do ambiente corporativo e comunicação entre terminais locais com IPs desconhecidos. A solução também aplica um analisador de ataques direcionados e mecanismos de área restrita ao ambiente corporativo.

"A principal característica da ameaça avançada é estar na empresa de forma indetectável durante um longo período de tempo, para obter uma grande quantidade de informações que podem ser comercializadas", comentou o diretor geral da Kaspersky Brasil, Claudio Martinelli. "Elas são muito mais danosas porque procuram não só dinheiro, mas o potencial de fazer dinheiro de empresas".

Ataques direcionados e avançados representam hoje uma parte pequena do toda de ciberataques: cerca de 1% e de 29% do total de ameaças existentes, respectivamente. Ainda assim, o potencial de dano que podem trazer para organizações é alto, com cifras de prejuízo que giram ao redor de US$ 2,54 milhões para grandes corporações e US$ 84 mil para pequenas e médias empresas, segundo dados de 2015 da pesquisa Corporate IT Security Risks Survey da Kaspersky Lab.

Serão dois modelos básicos de aplicação da KATA: no primeiro, a solução utilizará e analisará metadados da companhia em comunicação com servidores da Kaspersky para a detecção de possíveis ameaças; já o segundo modelo será voltado para empresas que desejam rodá-la em ambientes herméticos e sem comunicação com redes externas, onde a KATA funcionará de forma independente e sem envio de dados para fora da empresa.

A nova solução também poderá ser adquirida de forma independente, com conexão de plataformas de segurança de outros players, ou em conjunto com outras soluções da Kaspersky.

Nova estratégia

Com a adesão da KATA ao seu portfólio de soluções corporativas, a Kaspersky prepara uma nova estratégia de atuação junto ao mercado brasileiro, apostando no crescimento da adoção dos serviços de inteligência de segurança – focados não só no bloqueio de malwares, mas na identificação de ataques complexos e desconhecidos à organizações e seus ativos.

O reposicionamento da empresa deve seguir uma tendência de mudança para os próximos três anos na forma com que companhias investem em sua segurança. Hoje, em média 90% dos orçamentos focados na proteção corporativa estão voltados para segurança do perímetro de redes e sistemas, com o objetivo de bloquear a entrada de ciberameças. Segundo pesquisas da Kaspersky, esse índice deverá cair para 40% nos próximos anos, e 60% dos investimentos totais passarão a ser direcionados para prevenir ciberataques avançados e ataques direcionados.

De acordo com o executivo, a tendência de crescimento de ataques complexos também é observada no Brasil e tende a se mostrar um desafio ainda maior para companhias nacionais – que investem, em média, metade do valor de suas contrapartes em regiões como Estados Unidos e Europa.

"O Brasil tem sido alvo de campanhas de ataques direcionados, até de grupos brasileiros. Não é uma realidade distante e não é uma realidade restrita a grandes empresas, porque empresas pequenas podem ser alvo para atingir grandes corporações", comentou Martinelli.