Inter quer melhorar segurança no Beira-Rio com reconhecimento facial

Por Redação | 09.04.2015 às 12:20

Aumentar a segurança em sua casa, o Estádio Beira-Rio, é um dos objetivos atuais do Sport Club Internacional. O time está dando os primeiros passos na aplicação de uma tecnologia de reconhecimento facial que vai ajudar à polícia e outras autoridades na identificação de possíveis vândalos ou responsáveis por distúrbios, tornando a experiência dos torcedores mais prazerosa e protegida.

Segundo o clube, a tecnologia que já foi testada em jogos do Campeonato Gaúcho e será implementada até o final do ano é a mesma usada, por exemplo, pelo FBI e por autoridades panamenhas em aeroportos internacionais do país. O software adquirido é da FaceFirst e foi trazido ao Inter pela Nuntech, uma empresa de tecnologia sediada na cidade de Canoas, no Rio Grande do Sul.

O investimento total em dinheiro não foi revelado, mas o time promete adquirir novos equipamentos e câmeras para que tudo funcione normalmente. Os 289 dispositivos do tipo, já instalados no Beira-Rio, poderão ser usados pela tecnologia, mas será preciso instalar mais deles para que a cobertura seja completa e melhore a capacidade de reconhecimento, principalmente nos acessos às arquibancadas e cadeiras.

Uma vez funcionando, o sistema será capaz de diferenciar 1,25 milhão de pessoas por minuto a partir de pontos de referência nos rostos delas. A comparação, durante os testes, foi feita com a base de dados de associados do Inter, mas, no futuro, também incluirá catálogos de membros de torcidas organizadas e gente reconhecida por distúrbios, além de plataformas policiais. Tudo para garantir que pessoas potencialmente perigosas sejam identificadas antes mesmo de se infiltrarem em meio à torcida e possam ser monitoradas caso atuem de maneira ilegal.

A média de público do Beira-Rio é de 28 mil torcedores por jogo. O estádio tem capacidade para 50 mil torcedores e costuma chegar à lotação máxima em eventos mais importantes, como partidas da Copa Libertadores da América. Lidar com toda essa gente é muito difícil e é justamente isso que a direção do Inter deseja mudar com a ajuda da tecnologia.

Mas não é apenas do ponto de vista da segurança que a solução deve funcionar. Segundo o Inter, a plataforma também deve ser utilizada na realização de promoções e sorteios e, no futuro, também será a responsável por liberar o acesso nas catracas. O Inter deseja trocar os tradicionais ingressos por identificação biométrica, de forma a acabar com a falsificação de entradas e outros problemas relacionados ao acesso dos torcedores ao estádio.

Fonte: Baguete