Huawei estreia novo centro de transparência e segurança cibernética

Por Felipe Gugelmin | Editado por Claudio Yuge | 09 de Junho de 2021 às 23h30
Divulgação/Huawei

A Huawei estreou nesta quarta-feira (9) um novo Centro Global de Transparência em Segurança Cibernética e Proteção de Privacidade na cidade de Dongguan, na China. Maior iniciativa da empresa nesse sentido até o momento, faz parte de seus esforços para aumentar a confiança que consumidores e reguladores possuem em seus produtos, bem como aprimorar a segurança do mundo da tecnologia em geral.

Além do novo centro, a empresa também lançou seu Product Cyber Security Baseline, que compartilha com o setor de tecnologia sua estrutura básica de segurança de produto e práticas de gestão. “Como setor, precisamos trabalhar juntos, compartilhar as melhores práticas e desenvolver nossas capacidades coletivas em governança, padrões, tecnologia e verificação”, afirmou Ken Hu, Presidente Rotativo da Huawei, durante a inauguração.

“Precisamos dar ao público em geral e aos reguladores um motivo para confiar na segurança dos produtos e serviços que usam diariamente. Juntos, podemos encontrar o equilíbrio certo entre segurança e desenvolvimento em um mundo cada vez mais digital”, complementa o executivo.

Desafios de governança e padronização

O novo centro tem o objetivo de resolver os problemas de segurança gerados pela adoção de tecnologias como 5G e inteligência artificial. A companhia chinesa afirma que a pandemia acelerou a transformação digital do cotidiano de muitas pessoas que, ao passar a maior parte do tempo online, estão suscetíveis a mais perigos com os quais nem sempre sabem lidar.

Imagem: Divulgação/Huawei

O compartilhamento do Product Cyber Security Baseline da companhia tem o objetivo de acelerar a criação de uma abordagem coordenada e baseada em padrões para o setor de tecnologia responder a esses desafios. "Governos, organizações de padrões e fornecedores de tecnologia precisam trabalhar mais próximos para desenvolver uma compreensão unificada dos desafios de segurança cibernética. Este precisa ser um esforço internacional. Precisamos definir metas compartilhadas, alinhar responsabilidades e trabalhar juntos para construir um ambiente digital confiável que atenda aos desafios de hoje e de amanhã", explica Ken Hu.

A iniciativa surge em um momento em que a Huawei continua a enfrentar restrições em suas operações — a maioria delas impostas pelos Estados Unidos. Em maio deste ano, a companhia escreveu uma carta aberta ao presidente Joe Biden, assegurando que seus produtos são seguros e não podem ser usados para iniciar ataques cibernéticos ao país, tampouco fornecer dados sensíveis ao governo de Pequim.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.