Hackers usam brecha de mais de 10 anos para atacar dispositivos conectados

Por Redação | 16.10.2016 às 12:35

A Internet das Coisas (ou IoT) está aí, e como dita a tendência, quanto mais pudermos nos conectar com pessoas e objetos, melhor. E em uma era onde até a lâmpada de casa faz parte desta rede, as maravilhas da tecnologia encaram também uma enorme evolução de problemas.

Segundo pesquisadores da empresa de cibersegurança Incapsula, uma falha de 12 anos atrás ainda está sendo utilizada por hackers para invadir e derrubar os sistemas das coisas conectadas, que não possuem práticas comuns de segurança como as dos computadores e servidores, oferecendo uma brecha relativamente fácil de explorar. A ideia da pesquisa é alertar tanto desenvolvedores de IoT quanto usuários da tecnologia.

Trata-se de uma falha de DDoS. Agora, os hackers conseguiram criar botnets em cima desta vulnerabilidade para interceptar os sistemas de dispositivos inteligentes e assim acessarem as redes onde eles estão instalados, derrubando sites, invadindo plataformas governamentais e outros locais seguros.

Uma destas botnets é a chamada Mirai, que tem código aberto e é de acesso livre tanto para hackers quanto para pesquisadores. Ela não apenas sequestra computadores, como também os contamina com malwares e vírus a fim de corromper todo o sistema.

Alguns desenvolvedores especializados em internet das coisas já estão cientes de que a segurança precisa ser levada a sério também nos dispositivos conectados, mas ainda existem muitos destes gadgets que são vendidos no mercado sem o mínimo de segurança. Um dispositivo como este, aparentemente inofensivo, pode acabar servindo de ponte entre o hacker e o sistema doméstico ou local, o que leva a comprometer inclusive a integridade física de casas e estabelecimentos comerciais. Basta imaginar que um hacker consiga abrir o portão de uma casa, por exemplo, e o estrago estará feito.

Via ReadWrite