Governo russo está usando hackers para explorar falhas do Windows e Flash Player

Por Redação | 20 de Abril de 2015 às 18h04

Existe um ditado que diz que a única certeza que temos é a morte. No mundo da informática, no entanto, também há outra certeza absoluta: que o Windows ou o Flash Player invariavelmente apresentarão falhas de segurança. Sabendo disso, um grupo de hackers russos está explorando os dois softwares para obter informações governamentais sigilosas.

Segundo relatos da empresa de segurança FireEye, que atentou para a existência do grupo APT28 em outubro do ano passado, os malfeitores virtuais podem estar trabalhando para o governo da Rússia, que está em busca de informações governamentais, militares e de segurança que podem lhes dar vantagens em relação a outros países.

Para obtê-las, os hackers estariam explorando toda sorte de falha de segurança nos dois softwares. Rumores indicam que a falha crítica corrigida pela Adobe na semana passada seria uma das mais exploradas pelo grupo, enquanto que a principal porta de atuação dos cibercriminosos ao sistema operacional da Microsoft ainda estaria por ser corrigida. Apesar disso, a firma de segurança garante que o problema no sistema que equipa a maioria esmagadora de computadores em todo o mundo é menos grave do que o que assolava o Flash Player.

Ainda de acordo com o relatório de segurança, o grupo atua desde 2007 em parceria com o governo de Vladimir Putin e já esteve envolvido em alguns casos de tentativa de invasão aos servidores do Departamento de Estado dos Estados Unidos. Segundo relatos, o grupo estaria especialmente interessado na agenda de viagens do presidente norte-americano Barack Obama pelo mundo.

Embora os esforços dos criminosos virtuais estejam concentrados em computadores governamentais e militares, sempre vale aquela velha dica de segurança: tenha instaladas em seu computador soluções de segurança originais e as mantenha atualizadas. O mesmo vale para o sistema operacional, independente de qual versão seja. Além disso, sempre procure se informar sobre os tipos de ataque que estão em voga e evite clicar em links ou banners estranhos ou milagrosos que prometem mundos e fundos. Um usuário bem informado e cauteloso vale mais do que qualquer solução de segurança.

Fonte: CNET

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.