Governo do EUA investiga updates de segurança lançados por fabricantes de mobile

Por Redação | 10 de Maio de 2016 às 13h09

O governo dos Estados Unidos lançou nesta semana uma investigação para saber mais sobre os processos que garantem a segurança e a privacidade dos donos de dispositivos móveis. Em parceria com a Comissão Federal do Comércio (FTC, na sigla em inglês), a Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla original) investiga junto às fabricantes de smartphones e também às operadoras de telefonia móvel como funciona o processo de avaliação e distribuição de atualizações de segurança para os portáteis.

O processo de investigação é divido em dois, com a FTC cuidado das fabricantes de smartphones e a FCC fazendo a ponte com as operadoras. A grande preocupação da FCC, idealizadora da investigação, está em problemas de segurança de larga escala em alguns sistemas operacionais, como o caso Stagefright, no Android. “Recentemente, tem havido um número crescente de vulnerabilidades associadas aos sistemas operacionais mobile que ameaçam a segurança e a integridade de um usuário”, escreveu o órgão que regulamenta as telecomunicações nos EUA em um comunicado oficial.

Para quem não se lembra, problemas relacionados ao Stagefright atingiram mais de 1 bilhão de usuários de Android no mundo — 95% de todos os usuários do sistema do Google. Em julho, setembro, outubro e novembro de 2015 e até março de 2016, diversas notícias envolvendo a descoberta de novos problemas relacionados a esta falha e as suas correções tomaram conta dos noticiários especializados. Ao que tudo indica, é justamente a inconsistência do combate a este tipo de problema que atinge basicamente toda a população de um sistema operacional o que preocupa os órgãos do governo estadunidense.

“Os consumidores podem ficar desprotegidos, por longo períodos ou mesmo definitivamente, por qualquer atraso na correção de vulnerabilidades uma vez que elas são descobertas”, prossegue o comunicado da FCC. “Até agora, desenvolvedores de sistemas operacionais, fabricantes de equipamentos e operadores de serviços mobile têm respondido às vulnerabilidades conforme elas surgem. Há, porém, atrasos significantes na entrega de correções para dispositivos atuais — e há aqueles dispositivos antigos que podem ficar sem receber atualizações para sempre”, completa.

Com a projeção que o mercado estadunidense tem sobre outros mercados, é bem provável que as vantagens desta medida se expandam para o resto do mundo e beneficiem muito mais gente do que apenas os consumidores dos EUA.

Fonte: FCC

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.