Google diz que pergunta de segurança não é a melhor opção para lembrar senhas

Por Redação | 25 de Maio de 2015 às 13h12

As perguntas de segurança estão por toda a parte na internet, seja para o acesso em bancos ou em redes sociais. Porém, ao contrário do que o nome diz, a medida não é tão segura assim. A afirmação foi dita pelo Google na 24 ª edição do evento WWW 2015 (International World Wide Web Conference), em Florença, na Itália.

A gigante das buscas analisou centenas de milhões de perguntas e respostas usadas na recuperação de senhas e os pesquisadores descobriram que uma grande parte das questões mais comuns podem ser respondidas corretamente dentro de 10 palpites, com uma taxa de acerto entre 29% a 39%, dependendo da pergunta.

Algumas pessoas costumam usar a tática de usar respostas erradas para as perguntas, mas o Google diz que, na verdade, isso torna o serviço de um cibercriminoso ainda mais fácil.

O problema está no fato de que as respostas mais difíceis de acertar também são as mais difíceis de lembrar. Os pesquisadores mostram que usar duas perguntas de segurança diferentes reduzem as chances de o hacker acertar a resposta de 10% a menos de 1%, mas os usuários lembram as respostas das suas questões apenas em 59% das vezes.

O Google sugere que as pessoas evitem completamente o uso da pergunta de segurança e optem por envio de SMS, ou outra forma de autenticação.

Via: Digital Trends

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.