Golpe no Gmail afeta mais de 1 milhão de usuários em apenas uma hora

Por Redação | 04.05.2017 às 16:13

Nesta quinta-feira (4) o Google anunciou um novo golpe que afetou mais de 1 milhão de usuários do Gmail. De acordo com as informações, hackers enviaram emails com convites para editar documentos no Google Docs. Ao tentar abrir o arquivo, era solicitado que o usuário informasse seu email e senha de acesso à plataforma do Google. Com as informações entregues aos mal intencionados, os usuários tiveram expostas suas contas de email, contato e documentos.

Segundo o professor de segurança virtual da Tandon School of Engineering da Universidade de Nova York, Justin Cappos, os hackers realizaram os ataques de forma automatizada, já que milhares de pessoas receberam os emails fraudulentos diversas vezes em pouco tempo. Ainda não se sabe o que motivou as invasões, mas o especialista acredita que os hackers poderiam utilizar as informações roubadas para ter acesso a informações bancárias das vítimas.

Felizmente o problema durou pouco tempo, mas o suficiente para causar transtorno. De qualquer forma, o Google fez um pronunciamento sobre o assunto, garantindo que o problema já foi solucionado. "Tomamos as medidas necessárias para proteger os usuários diante de um e-mail representando o Google Docs, e desabilitamos as contas de quem estava fazendo isso", disse um porta-voz da gigante das buscas. "Removemos as páginas falsas e nossa equipe já está trabalhando para prevenir que esse tipo de situação ocorra novamente.”

Leia a declaração na íntegra:

Percebemos que as pessoas estão preocupadas com suas contas do Google, e agora podemos dar uma explicação mais completa após uma investigação mais aprofundada. Tomamos as medidas necessárias para proteger os usuários de um spam que se passava pelo Google Docs e que afetou menos de 0,1% dos usuários do Gmail. Protegemos os usuários contra esse ataque por meio de uma combinação de ações manuais e automáticas, por meio da remoção de páginas e aplicações falsas e realizando atualizações por meio do Safe Browsing, Gmail e outros sistemas de prevenção de abusos. Fomos capazes de parar a ação em aproximadamente uma hora. Embora as informações de contato tenham sido acessadas e usadas, nossas investigações mostram que nenhum outro dado foi exposto. Não há mais nenhuma ação que os usuários precisem tomar em relação ao ocorrido.

Fonte: Recode