Garota gera e vende senhas realmente seguras e aleatórias por US$ 2 na web

Por Redação | 26 de Outubro de 2015 às 17h50

A falta de segurança na internet, motivada principalmente pelos próprios usuários e suas senhas óbvias, se transformou em um projeto curioso e um negócio para a jovem Mira Modi. A nova-iorquina, de apenas 11 anos, iniciou o site Diceware Passwords e vende, pela internet, senhas realmente protegidas e aleatórias por US$ 2 (cerca de R$ 8) cada.

O sistema usado confere real randomização às credenciais. Nele, dados de seis lados são rolados e cada número é transformado em uma palavra, criando uma senha que é, ao mesmo tempo, fácil de ser memorizada pelos usuários e aleatória o suficiente para dificultar a obtenção por meio de golpes de engenharia social ou ataques de força-bruta.

Para garantir que não exista interceptação, o processo também acontece de forma totalmente offline. Modi rola dados reais e converte os números em palavras a partir de um livro de Diceware. Na sequência, a senha é enviada pelo correio, de forma que apenas o próprio cliente conheça a combinação gerada. Ela própria afirma conhecer a sequência apenas no momento em que ela é gerada, já que realiza a conversão e a lacra em um envelope, esquecendo-a devido à quantidade de atividades em seu dia e à geração de novos documentos do tipo.

O negócio começou a partir de um projeto pessoal da mãe de Modi, a jornalista Julia Angwin, altamente ligada às causas de privacidade online que, durante a etapa de pesquisas para seu livro “Dragnet Nation”, pediu à filha que gerasse algumas senhas em Diceware. Ela gostou tanto disso que começou a acompanhá-la nos eventos de promoção da publicação e vender senhas geradas na frente dos clientes. Daí veio a ideia de transformar isso em uma loja online.

Além disso, a adolescente achou que seria interessante criar um negócio próprio e gerenciar um site para ele, três perspectivas que se juntaram e deram origem ao Diceware Passwords. Desde que começou o serviço, ela disse já ter vendido cerca de 30 senhas, uma produção pequena que só é feita durante o tempo livre de Modi, em meio a estudos e atividades extra-curriculares, como ginástica e dança.

A proposta já ganhou o aval até mesmo de Arnold Reinold, o criador do sistema Diceware. Mesmo afirmando que o ideal é que cada um crie sua própria senha a partir da técnica, ele elogiou Modi pela iniciativa de espalhar a causa da segurança, principalmente, entre seus amigos igualmente jovens, e ressaltou a importância do envio de credenciais por outros meios que não sejam digitais.

Fonte: Ars Technica

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.