Fórmula 1 estuda cockpits fechados para a segurança dos pilotos

Por Redação | 27 de Agosto de 2015 às 08h34

A morte do piloto inglês Justin Wilson neste último final de semana, depois de um grave acidente durante as 500 milhas de Pocono na Fórmula Indy, levou a comunidade do automobilismo a pensar em formas de trazer segurança aos pilotos com maior proteção no cockpit.

A Fórmula 1 já discute a ideia de um cockpit fechado com mais seriedade desde o acidente que vitimou o jovem piloto Jules Bianchi no GP do Japão de 2014. Com a sucessão de graves acidentes que tem causado grandes danos aos pilotos no lugar onde eles estão relativamente desprotegidos, a FIA cogitou a possibilidade de usar cockpits fechados em todas as categorias, incluindo a Fórmula 1. Na categoria máxima do automobilismo mundial, a ideia já havia sido sugerida pela Mercedes e as demais equipes demonstraram que estão dispostas a conversar sobre uma possível solução de segurança para o problema.

Mercedes F1

A FIA está preparando novos testes, que deverão ser realizados no próximo mês de setembro. A grande dificuldade, no entanto, é encontrar uma forma dos cockpits fechados não atrapalharem o espetáculo dentro das pistas, uma vez que os cockpits abertos fazem parte da tradição de categorias de monoposto.

A ideia inicial da FIA é levar novamente um conceito de cockpit semifechado para os testes. Este conceito é capaz de proteger a cabeça do piloto parcialmente, evitando lesões causadas por pneus e detritos maiores, por exemplo. Nos testes realizados em 2011, o Instituto de Segurança e Sustentabilidade da FIA concluiu que o cockpit é seguro para acidentes que envolvam componentes maiores disparados contra a cabeça do piloto.

Apesar da eficiência deste conceito, existem alguns problemas no projeto que precisam ser discutidos e analisados, como as preocupações quanto a visibilidade dos pilotos e a capacidade de sair rapidamente de dentro do cockpit depois de um acidente. Outra questão que está sendo levada em consideração é a possibilidade de detritos menores impactarem na cabeça do piloto, como foi o caso do acidente de Felipe Massa nos treinos do GP da Hungria de 2009.

Lotus F1

Os cockpits totalmente fechados, no entanto, protegeriam a cabeça do piloto em sua totalidade, oferecendo maior segurança e aumentando também a aerodinâmica dos carros. Porém, o conceito destoa muito do atual modelo utilizado nos carros e aumenta a dificuldade dos pilotos em deixarem seus bólidos em situação de emergência após um acidente.

Fonte: Motorsport

Fonte: http://www.theverge.com/2015/8/25/9207767/formula-one-indycar-crazy-closed-cockpit-design

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.