FIAT recompensará hackers que encontrarem falhas em seus sistemas

Por Redação | 13.07.2016 às 13:00

Na medida em que o mundo automotivo se aproxima cada vez mais da alta tecnologia, mais as empresas do setor começam a se comportar como as pares do Vale do Silício. E, agora, a FIAT está anunciando um programa de recompensas para hackers que encontrarem bugs nos sistemas embarcados nos carros da montadora.

Prêmios de até US$ 1,5 mil estão sendo oferecidos para hackers que encontrarem falhas de segurança nos veículos de qualquer uma das marcas que fazem parte do conglomerado. Entre elas, estão nomes de renome como Chrysler, Maserati, Dodge, Jeep e Alfa Romeo, além, claro, dos veículos da própria FIAT. Os valores serão distribuídos de acordo com a gravidade do bug encontrado, e também conforme seus efeitos sobre o carro.

Ela, inclusive, não é a primeira a criar um programa desse tipo, uma vez que a pioneira nesse sentido foi a Tesla, que tem um programa de “caça aos bugs” em atividade desde o ano passado, depois da descoberta de uma falha no sistema de entretenimento que poderia levar ao desligamento completo do veículo. A empresa responsável pela campanha, inclusive, é a mesma para ambas as montadoras – a Bugcrowd, especializada nesse tipo de serviço e baseada nos Estados Unidos.

Apesar de a relação entre as duas situações não ter sido evidenciada pelo conglomerado, a própria FIAT já se viu diante de um problema semelhante depois que, em um teste de conceito, especialistas de segurança foram capazes de assumir controle de um carro da Jeep utilizando uma conexão sem fio. A descoberta levou a um recall de alguns modelos e ao lançamento de uma atualização para outros, e levantou discussões sobre a segurança de veículos cada vez mais conectados à internet.

Recentemente, a marca mais uma vez se tornou notícia depois que as autoridades da cidade de Houston, nos Estados Unidos, emitiram um alerta de que notebooks seriam a nova arma dos ladrões de carro. Em um vídeo de segurança liberado pela polícia, um homem aparece arrombando a porta de um Jeep e utilizando um computador para, aparentemente, dar a partida e fugir com o veículo. Roubos com características semelhantes já teriam sido registrados em outras localidades do país.

A ideia de programas de “caça aos bugs” é recompensar especialistas pela descoberta de falhas, de forma que os sistemas se tornem mais robustos e confiáveis. Ao mesmo tempo, é uma forma de garantir que esses mesmos indivíduos não vendam suas descobertas no mercado negro, onde elas poderiam ser usadas para fins maliciosos. Os pagamentos, entretanto, são bem diferentes em termos de valor, mas ainda assim, essa é uma alternativa considerada extremamente benéfica para os “hackers do bem”.

Fonte: The Wall Street Journal