FBI vai interromper uso de backdoors para obter dados de usuários

Por Redação | 07 de Novembro de 2015 às 11h40

Em mais uma vitória dos defensores da privacidade e da liberdade de informação, o FBI anunciou que está abandonando seu plano de inclusão de backdoors em produtos tecnológicos para facilitar o acesso a informações em caso de investigação. O plano do órgão, originalmente, era ter uma porta fácil de acesso aos dados, caso fosse necessário usá-la, mas essa proposta vinha enfrentando a dura resistência de fabricantes e desenvolvedores de tecnologia nos Estados Unidos.

Na opinião do diretor do FBI, James Baker, a ideia se parecia demais com um “pensamento mágico” que poderia facilitar todas as coisas e, por isso mesmo, trazia também um pouco de inocência por parte das autoridades. De forma um tanto irônica, ele afirmou que o uso de backdoors colocava toda uma responsabilidade sobre a “maravilhosa indústria de tecnologia dos Estados Unidos”, que deveria pensar em uma forma de criar uma abertura que fosse usada apenas pelas forças policiais, mas sem ser explorada por hackers e outros indivíduos.

“Talvez isso seja exigir demais”, concluiu ele, falando em uma conferência de tecnologia e segurança na cidade de Boston. Baker parece entender que a aplicação de uma backdoor que possa ser utilizada única a exclusivamente pelo FBI pode ser uma impossibilidade matemática e, sendo assim, afirmou que o órgão vai buscar outras maneiras de realizar seu trabalho e obter as informações necessárias para o andamento de suas investigações.

Desde meados do ano passado, o FBI e outras autoridades do governo americano estão em pé de guerra com empresas como Apple e Google por conta de sistemas de criptografia aplicados, principalmente sobre smartphones. De um lado, as fabricantes dizem que nem elas mesmas possuem métodos para quebrar a proteção de seus clientes, enquanto os órgãos de justiça pedem que portas sejam abertas para facilitar investigações sobre terrorismo e outros crimes. Tudo, claro, sob mandado judicial, algo que nem sempre é cumprido.

Agora, em vez de usar backdoor, a ideia é utilizar a “porta da frente”. Nas declarações, o diretor do FBI disse estar “confortável” com o uso de ordens oficiais e liberações pela Justiça, e que agirá sempre dentro da lei para garantir a segurança dos cidadãos, sem que isso implique em quebrar a privacidade de ninguém.

Fonte: The Register

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!