Familiares de vítimas apoiam FBI em ação que pede desbloqueio do iPhone

Por Redação | 24.02.2016 às 12:32
photo_camera Divulgação

Um grupo de vítimas e familiares dos mortos no massacre de San Bernardino, na Califórnia, vai, em breve, demonstrar publicamente seu apoio à decisão judicial que quer obrigar a Apple a criar um backdoor no iOS. De acordo com o advogado que representa o conjunto, eles irão registrar uma petição junto à justiça americana sobre o assunto, como forma de dar mais força à ordem, apesar de a Maçã já ter se recusado a cumpri-la.

De acordo com Stephen Larson, ex-juiz e que agora representa as vítimas, o interesse delas no material contido no aparelho de um dos acusados de ser o responsável pelo ataque vai muito além dos interesses do governo. Para ele, alguns dos atingidos podem ter sido escolhidos como alvos deliberadamente, e seus familiares querem saber porque isso aconteceu, e de que forma o atentado foi planejado.

O advogado não disse exatamente quantas pessoas ele representa na causa. O Departamento de Justiça americano não se pronunciou sobre o assunto, e a Apple também manteve o silêncio. A companhia diz querer justiça para as vítimas e apoiar o governo na investigação do massacre, mas afirma não poder atender aos pedidos que estão sendo feitos pelo FBI, e que uma ferramenta que desbloqueie o iPhone da maneira como é requerido nem mesmo existe.

Além dos familiares das vítimas, a ação judicial contou com o apoio público do diretor do FBI, James Comey. Em uma carta publicada na internet, ele afirma que a ordem não deseja criar um precedente legal para casos desse tipo, mas sim, garantir a justiça aos que sofreram com os atentados. Além disso, voltou a afirmar que o backdoor seria utilizado exclusivamente pelas autoridades, e somente nesta ocasião. Mas, depois da notícia que se espalhou ontem, não é isso que parece.

Fonte: Reuters