EUA agora têm arma que dispara impulsos eletromagnéticos de avião

Por Redação | 01.06.2015 às 14:59
photo_camera Reprodução/Boeing

Pode parecer coisa de Holywood, mas o fruto de uma parceria entre a Força Aérea dos Estados Unidos e a empresa de aviação Boeing não tem nada de fictício. Juntos, os órgãos desenvolveram uma arma de impulso eletromagnético, capaz de destruir sistemas elétricos inteiros sem danificar nada materialmente ou causar baixas humanas diretamente.

A arma está sendo chamada de "CHAMP", silga em inglês para "Counter-electronics High-powered Microwave Advanced Missile Project", ou, em tradução livre, "Projeto para mísseis de alto-poder de microondas anti-eletrônicos avançado". De acordo com a teoria da aeronáutica americana, o projeto seria útil para cortar a energia elétrica e as conexões de internet e similares em prédios ou esconderijos usados por criminosos, terroristas e afins.

A novidade se trata de um poderoso impulso eletro-magnético que tem efeito similar ao de uma bomba nuclear — que destrói todos os campos magnéticos de eletricidade no raio do seu alcance de explosão. O CHAMP, por sua vez, faz o mesmo, só que sem as inconveniências das mortes e destruição em massa causadas pela bomba. Quem já assistiu ao filme "11 Homens e Um Segredo" talvez se lembre do personagem Basher, vivido por Don Cheadle, explicando a função de um aparato bastante similar, usado pelo grupo de ladrões do filme para cortar toda a energia da cidade de Las Vegas. Como diz o personagem, é uma bomba, só que sem a bomba, e o mesmo vale para a novidade dos militares americanos.

O projeto vem sendo testado há alguns anos, segundos fontes junto ao governo dos EUA, e com sucesso. Em 2012, durante testes no estado americano de Utah, uma missão da CHAMP conseguiu atingir e cortar a energia de sete alvos diferentes em um único voo. A capacidade do ataque de atingir pontos individuais pode representar um grande avanço na hora de combater dentro de cidades, por exemplo, uma vez que os problemas com a população civil têm menos chance de acontecerem com uma arma capaz de detectar alvos individualmente.

De acordo com o major-general Tom Masiello, comandante do Laboratório de Pesquisa da Força Aérea dos EUA, o CHAMP "já é um equipamento disponível atualmente em nossas forças aéreas táticas", e o órgão militar americano confirmou que já há pelo menos 5 aviões da Boeing especificamente voltados para o projeto devidamente equipados e prontos para a ação.

Via Digital Trends.