Estudo: quase 70% das empresas que apoiam o BYOD planejam ampliar investimentos

Por Redação | 15 de Abril de 2015 às 10h17
photo_camera Divulgação

Uma pesquisa realizada pela MDM Solutions em parceria com a Integrare 360º Marketing de Conteúdo mostra como a mobilidade e o movimento do Bring Your Own Device (BYOD) estão cada vez mais inseridos na rotina de grandes empresas. De acordo com o relatório, cerca de 70% das companhias brasileiras que possuem esse tipo de iniciativa planejam aumentar seus investimentos nos próximos 12 meses.

O estudo foi batizado de “BYOD no Brasil: adoção, gestão e desafios na visão dos líderes de TI” e entrevistou 73 empresas, mais de 34% delas com faturamento acima de R$ 1 bilhão. Com a adoção do BYOD, mais de 67% dos entrevistados afirmam esperar ganho de produtividade em tarefas operacionais e 40% deles consideram que suas corporações estão em um estágio maduro e estruturado de adoção de estratégias e mobilidade.

A principal parcela dos entrevistados diz destinar até 3% do seu faturamento para investimentos e manutenção em TI, representando mais de metade das respostas. Buscando compreender a discussão sobre o posicionamento da área de TI nas empresas, constatou-se que a maior proporção (quase 55%) responde diretamente para o CEO e presidência das empresas, o que permite interpretar que os departamentos de tecnologia da informação de fato têm influência nas definições estratégicas das companhias.

Segundo a pesquisa, 50% das pessoas que usam o BYOD dentro das empresas fazem parte da alta direção, seguidas por funcionários em geral (45%) e pela área comercial (44%). O que mais costuma ser acessado é a rede corporativa (62%) e aplicativos web específicos desenvolvidos internamente (39,34%).

Considerando que projetos de mobilidade são compostos por dispositivos móveis inteligentes (smartphones/tablets) e soluções que atendam às demandas de negócio da corporação, os respondentes da pesquisa passaram a adotar estratégias móveis antes de 2007. Hoje, 40% consideram estar em um estágio maduro e estruturado de adoção. Mas um dado chama a atenção: quase 30% dos entrevistados dizem não ter uma política formal de BYOD e, mesmo assim, permitem que todos os funcionários utilizem os próprios equipamentos na rotina de trabalho.

“Esse é um dado que preocupa. Permitir o uso indiscriminado de equipamentos pessoais na rede corporativa pode representar uma vulnerabilidade que expõe a integridade da segurança como um todo, o que invariavelmente resulta em perdas e não ganhos”, afirma o CEO e sócio-fundador da MDM Solutions, Marco Boemeke.

Sobre a solução que já é ou que deve ser usada para a gestão dos dispositivos móveis, 42,62% apostam no MDM para gerenciar todos os dispositivos móveis da empresa, de forma centralizada e integrada. O MEM (Mobile E-mail Management) segue com 18,03% e o MAM (Mobile Application Management) com 14,75%.

Resultados e desafios na adoção

Não é segredo que a estratégia de adoção de BYOD e mobilidade vai além da necessidade e comodidade dos funcionários em poder usar os próprios dispositivos no ambiente de trabalho. Ao abordar quais seriam os principais ganhos auferidos e esperados pelas empresas com a estratégia, com possibilidade de tripla escolha, mais de 67% dos entrevistados afirmaram que esperam ganho de produtividade em tarefas operacionais, 57% preveem melhor atendimento ao cliente e pouco mais de 50% apostam no ganho de produtividade em tarefas de gestão.

Como esperado, a principal preocupação dos líderes de TI é quanto à segurança das informações, totalizando 60% respostas. Em segundo lugar, o item que mais gera dor de cabeça é a identificação do modelo de BYOD mais adequado para atender à demanda de negócio, com 54%.

Apesar das muitas incertezas e desafios que os líderes de TI claramente enfrentam, as perspectivas se mostram positivas para a mobilidade e políticas de BYOD. Quase 70% daqueles que já possuem iniciativas do tipo planejam ampliar seus investimentos na área nos próximos 12 meses, 57% destas organizações planejam aumento de 10% em seus investimentos.

Os dados completos da pesquisa serão divulgados em um evento no dia 16 de abril, em São Paulo.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.