Estudo mostra que Brasil é o 3º país mais preocupado com violação de dados

Por Redação | 10 de Julho de 2015 às 15h14

Um estudo recente realizado pela TI Unisys, fornecedora de soluções e serviços, mostra que 53% dos brasileiros entrevistados se preocupam com a violação de seus dados pessoais armazenados por empresas e agências do governo. Este número é o terceiro do ranking elaborado na pesquisa, que conta apenas com a Holanda (59%) e a Alemanha (58%) à frente do Brasil. Foram analisados internautas de 12 países para elaborar a pesquisa.

No contexto geral, 59% dos entrevistados acreditam que os dados pessoais mantidos por empresas de serviços de telecomunicações são vulneráveis a uma provável violação. Neste quesito, os colombianos (71%) e os brasileiros (67%) foram os que se mostraram mais preocupados. Os entrevistados, tanto na Colômbia quanto no Brasil, acreditam que é provável que ocorra algum tipo de violação de dados pessoais com as empresas de telecomunicações dentro do próximo ano.

Cerca de 49% dos entrevistados em todas as nações apontaram que é provável que aconteça uma violação dos dados armazenados em órgãos governamentais, o que deixa o governo como o segundo setor mais vulnerável a vazamentos de informações confidenciais. No Brasil, este índice é bem maior que a média mundial, chegando a 60%. Isso deixa o país atrás novamente apenas dos europeus da Holanda (69%) e da Alemanha (61%).

O setor bancário é o terceiro segmento mais vulnerável, de acordo com a pesquisa da TI Unisys. A média global é 48% dos participantes que se mostraram preocupados com seus dados pessoais. Na classificação entre países, Holanda e Alemanha estão empatadas na primeira posição com 63%. Em seguida aparece os colombianos com 57% e os brasileiros com 53%.

O segmento considerado mais seguro entre todos os países analisados pela pesquisa foi o das companhias aéreas. Apenas 34% dos entrevistados apontaram preocupação com seus dados armazenados nestas empresas. Cerca de 39% dos brasileiros afirmaram estar preocupados com o vazamento de informações pessoais entre as companhias aéreas. As empresas de utilities, que fornecem serviços de energia, gás e água, aparecem com 45% no índice de reocupação global. Na sequência, estão os setores de varejo e saúde com 42% cada.

Nos Estados Unidos, o setor de varejo é o mais propenso a sofrer algum tipo de violação no próximo ano. Este índice está profundamente ligado aos recentes acontecimentos de violações de dados de clientes envolvendo grandes redes varejistas no país, como a Target. Já entre os brasileiros, o setor varejista se posicionou como o terceiro setor mais vulnerável a ataques cibernéticos, com 55%.

Mais de dois terços (exatos 71%) dos colombianos afirmaram que seja provável que aconteça uma violação de dados no mercado de telecomunicações nos próximos doze meses. No Brasil este número é de 67%. No México, a percepção de que os dados retidos pelo setor financeiro sofrerão alguma violação no próximo ano é a maior no país, com 52%.

Segundo Italo Cocentino, diretor de programas estratégicos da Unisys para América Latina, "as empresas precisam, em caráter emergencial, repensar a maneira como lidam com dados de clientes e cidadãos. Os resultados da pesquisa mostram claramente essa apreensão por parte das pessoas. As ameaças vêm de todos os lados (interna e externamente) e os criminosos cibernéticos vêm aumentando o nível de sofisticação de seus ataques". Ele ainda afirma que é "fundamental investir em medidas preventivas, como adoção de tecnologias que permitem segregar redes para que o acesso às áreas que armazenam dados confidenciais seja restrito a usuários autorizados".

Via Unisys

Fonte: http://convergecom.com.br/tiinside/07/07/2015/brasileiro-esta-entre-mais-preocupados-com-violacoes-de-dados-pessoais-indica-estudo/#.VZ_00ZOdPhAhttp://www.unisys.com.br/offerings/security-solutions/News%20Release/brasil-e-o-3-pais-mais-preocupado-com-v

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.