Dados de reconhecimento facial do iPhone X ficarão armazenados no aparelho

Por Redação | 03 de Novembro de 2017 às 17h44
photo_camera público
TUDO SOBRE

iPhone X

A princípio, a ideia é ótima: ter uma máscara 3D do seu rosto pode fazer um personagem se parecer tanto com você a ponto de mudar a jogabilidade de um game, por exemplo. Mas os especialistas em segurança virtual estão céticos após a Apple declarar que alguns dos dados utilizados no reconhecimento facial que o novo iPhone X oferece estarão acessíveis a milhares de desenvolvedores de aplicativos.

Os termos do contrato para o acesso aos dados colocam que é necessário o prévio consentimento do usuário e que é vetada a venda dessas informações a terceiros, mas isso não parece ser o suficiente para garantir a segurança, segundo os grupos American Civil Liberties Union e Center for Democracy and Technology, que atuam nos Estados Unidos da América preocupados com a defesa dos direitos de privacidade e segurança em tecnologia.

A Apple, entretanto, assegura que os dados que ficarão disponíveis aos desenvolvedores de apps não são suficientes para realizar o desbloqueio do aparelho, pois para isso seria necessária uma representação matemática da face humana real, não apenas um mapa visual de um determinado rosto.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A preocupação geral acerca do uso das informações de reconhecimento facial não gira em torno da possibilidade de monitoramento de civis por parte dos governos, uma vez que essa já é uma realidade consumada nas grandes cidades. Em Berlim, por exemplo, a tecnologia é usada desde o mês passado para auxiliar na investigação criminal.

O medo do Big Brother está mais voltado para as possíveis ações invasivas na área da publicidade, uma vez que o software usado pela tecnologia permite o reconhecimento de expressões faciais feitas pelo usuário ao acessar conteúdos, o que pode ser informação valiosa na mão (ou no banco de dados!) das grandes agências de marketing.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.