Criminosos cibernéticos enganaram mais de 157 mil internautas no Dia dos Pais

Por Ramon de Souza | 10 de Agosto de 2020 às 21h30

Datas comemorativas são um prato-cheio para criminosos cibernéticos: os internautas, ávidos por adquirir presentes a preços baixos, acabam caindo em ofertas falsas com maior facilidade. Esse cenário não poderia ser diferente no Dia dos Pais, e, segundo um levantamento realizado pelo dfndr lab, pelo menos 157 mil internautas acabaram sendo enganados com páginas, perfis e promoções fraudulentas ao longo das últimas semanas enquanto escolhiam um presente para seus pais.

Só no Facebook, os pesquisadores detectaram 137 perfis falsos que personificavam lojas famosas, incluindo nomes como Americanas e Ame Digital. Nesses casos, as páginas maliciosas compartilhavam produtos com preços muito abaixo dos praticados pelo mercado, direcionando as vítimas para uma página construída para simular perfeitamente o visual do ecommerce legítimo.

“As páginas linkam ofertas atraentes a sites maliciosos com preços bem abaixo do praticado pelo mercado, para conquistar o maior número de interessados. Depois que a vítima clica para comprar, são solicitados dados de cartão de crédito. Quando a suposta compra é concluída, a vítima é redirecionada para um link oficial da loja, para que não desconfie de nada. Neste momento, os dados dos cartões e informações pessoais da vítima são enviados diretamente para os golpistas”, explica Emilio Simoni, diretor do dfndr lab.

“A clonagem de cartão de crédito é um dos crimes digitais mais comuns. No entanto, há a possibilidade de outros crimes ocorrerem, como o uso de dados pessoais para abertura de contas e assinatura de serviços pagos, além da possibilidade da realização de empréstimos e pagamentos não autorizados, e do roubo de identidade para aplicação de golpes”, completa o pesquisador.

Divulgação/dfndr lab

Além das páginas falsas disseminadas pelo Facebook, o dfndr lab ressaltou uma corrente que se popularizou dentro do WhatsApp. A campanha maliciosa, usando o nome da Leroy Merlin, prometia uma churrasqueira a gás totalmente de graça para quem preenchesse um formulário informando seus dados pessoais. Ao final do questionário, a página solicita que a vítima compartilhe o link com seus contatos no WhatsApp, o que auxilia na viralização do golpe.

“É um comportamento comum dos cibercriminosos se aproveitarem de eventos e datas comemorativas para lançar golpes como este. Eles lucram com a apresentação de anúncios e utilizam as vítimas como vetor de disseminação dos golpes”, finaliza Emilio. O dfndr lab ressalta a importância de realizar uma checagem quanto a veracidade de uma página ou promoção antes de efetuar compras ou ceder quaisquer dados pessoais.

Fonte: dfndr lab

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.