Criador da WWW considera decisão de Donald Trump 'nojenta'

Por Redação | 04 de Abril de 2017 às 14h09

Tim Berners-Lee, o criador da world wide web, criticou a recente lei promulgada pelo presidente norte-americano Donald Trump. Para quem não sabe, nesta segunda-feira (3), uma decisão passou a permitir que as operadoras de internet vendam os dados de seus usuários a anunciantes, colocando fim à privacidade nos Estados Unidos.

Diante disso, Berners-Lee, após receber o prêmio Turing (frequentemente descrito como o Prêmio Nobel da computação), declarou que a atitude dos políticos em relação à internet foi completamente deturpada e que, por isso, os usuários da web nos EUA agora estão em perigo. De acordo com o cientista, ao utilizar a internet as pessoas ficam bastante vulneráveis: "Há coisas que as pessoas fazem na web que revelam absolutamente tudo sobre elas, mais do que se pode imaginar", explicou.

Desde o dia 1º de agosto de 1991, Tim Berners-Lee luta pela privacidade e inclusão na internet. Com as recentes decisões, no entanto, o criador da WWW vê o seu modelo sob forte ameaça. Entre suas preocupações, está uma série de tendências, como publicidade intrusiva, clickbait, monitoramento online e partidarismo político. "A privacidade é um valor americano central, não é uma coisa partidária. Os democratas lutam por ela e os republicanos também lutam por ela, talvez até mais ". Como solução para a situação, o cientista defende que os partidos se oponham a essas questões durante os debates políticos.

Fonte: The Verge

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.