Com peças feitas em impressora 3D, robô desbloqueia cadeados em até 30 segundos

Por Redação | 15 de Maio de 2015 às 14h05

Se você ainda duvida que as máquinas vão dominar o mundo algum dia, eis que os primeiros indícios de que ninguém está seguro começaram a aparecer. Afinal, alguém conseguiu criar um pequeno robô que destrava um cadeado em apenas 30 segundos. E o mais impressionante disso é que ele foi feito inteiramente a partir de uma impressora 3D.

Construído a partir de um Arduino e com peças feitas por uma impressora 3D, a invenção desenvolvida pelo hacker e consultor de segurança Samy Kamkar foi batizada de Combo Breaker, em homenagem ao jogo Killer Instinct, e surpreende por cumprir seu objetivo em até oito tentativas.

Assustador, não é mesmo? Para piorar, ele é extremamente portátil e funciona à base de baterias, o que significa que não é preciso ser nenhum grande mestre para operá-lo. Além disso, sua própria fabricação é simplificada, custando menos de US$ 100 para ser desenvolvido — e ele ainda liberou todos os modelos para que qualquer pessoa possa fabricar o brinquedo em casa.

De acordo com Kamkar, o objetivo do Combo Breaker é evidenciar uma falha no sistema de segurança dos cadeados da empresa Master Lock. Para isso, ele se baseia nessa vulnerabilidade para fazer com que seu pequeno robô consiga encontrar um desbloqueio. Como seu vídeo de demonstração deixa claro, ele fica forçando a abertura enquanto o dispositivo tenta calcular a combinação correta em apenas 30 segundos.

No entanto, como o site Tech Radar aponta, não é preciso passar as noites em claro com medo que alguém utilize o robô para invadir a sua casa. A não ser, é claro, que você use os modelos mais baratos de cadeados da Master Lock. O site explica que se trata de uma brecha encontrada em um problema de fabricação nessa linha mais em conta e que, por isso, a invenção não é tão catastrófica quanto muitos imaginavam.

Diante de algumas críticas, Kamkar explica que sua lógica é bastante simples: ao mostrar ao mundo como é fácil invadir esses sistemas de segurança, ele força as empresas a fazerem algo melhor e livre desses problemas. E, no caso da companhia citada, é bem provável que eles vão ter de se mexer para impedir que um estrago maior venha de carona.

Ainda assim, é impossível não se assustar com essa possibilidade, principalmente com as impressoras 3D se popularizando e os robôs ficando cada vez mais complexos — e não há nenhum John Connor para nos salvar.

Via: Samy Kamkar, Tech Radar

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!