Clientes de Rappi, iFood e Uber Eats são alvo de novo golpe no Instagram

Por Felipe Demartini | 17 de Junho de 2020 às 09h00

Os serviços de delivery se tornaram altamente requisitados durante o período de isolamento social e, com isso, aumentou também o índice de reclamações sobre entregas com problemas, cobranças indevidas e demais falhas das plataformas. Atentos a isso, bandidos estão aproveitando para aplicar golpes sobre os reclamantes no Instagram, de olho em seus dados pessoais e contas em aplicativos de mensagens.

A fraude, como tantas outras, tenta pegar as vítimas pela urgência e a necessidade de um retorno que, muitas vezes, pode demorar a vir por meios oficiais. Os bandidos criam contas falsas que se passam pelos suportes de plataformas como Rappi, Uber Eats e iFood, utilizando artes oficiais e até replicando postagens e a linguagem dos perfis reais. A ideia é dar aparência de legitimidade às supostas contas criadas de forma dedicada a lidar com reclamações, algo comum no Twitter, mas que não faz parte da operação das empresas no Instagram.

O principal interesse dos criminosos parece ser o roubo de contas no WhatsApp, mas dados pessoais e financeiros das vítimas também podem ser solicitados (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini)

Reclamações de clientes nos perfis oficiais são usadas como vetor para o contato dos golpistas com as vítimas, solicitando que os usuários os acionem por mensagem direta para análise das questões. Na conversa privada, as contas falsas solicitam o número de celular do usuário e, na sequência, pedem que ele informe um suposto código de verificação que chega pelo WhatsApp, em um processo de validação que não existe e é focado no roubo da conta no mensageiro.

Basta realizar uma busca no Instagram para encontrar dezenas de perfis desse tipo, registrados falsamente em nome das três principais plataformas de delivery do Brasil. O Canaltech avaliou a atividade de algumas dessas contas ao longo nas últimas semanas e identificou a Rappi como o principal foco das tentativas proativas de contato dos golpistas com as vítimas. Em alguns casos, a empresa até responde aos usuários sobre a existência dos perfis falsos, chegando até mesmo a participar da conversa entre um deles e clientes, sem que a postagem, em si, seja deletada.

Dezenas de perfis falsos tentam se passar pelo suporte de empresas de delivery como Uber Eats, Rappi e iFood. Foco é no roubo do WhatsApp e dos dados dos usuários (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini)

Em resposta à reportagem, a Rappi afirmou que “orienta proativamente seus usuários por meio das redes sociais”, além de se colocar à disposição para atender possíveis vítimas de golpes desse tipo. A empresa também afirmou trabalhar ao lado do Facebook na identificação, denúncia e remoção de perfis que tentem se passar por representantes da plataforma, mas que esse processo de exclusão é feito pela empresa, responsável pelo Instagram, que costuma tomar atitude em “algumas horas”.

O Canaltech não encontrou incidentes de comunicação entre golpistas e vítimas nos perfis oficiais do Uber Eats ou iFood. Por isso, não é possível saber se o golpe acontece contra usuários dessas plataformas ou se as mensagens fraudulentas são bloqueadas ou apagadas de forma rápida por suas equipes de mídia social.

Golpistas entram em contato com usuários que postam reclamações no perfil oficial; Rappi parece ser foco principal da ação maliciosa (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini)

Em contato, o Uber Eats afirmou que não solicita números de telefone ou qualquer informação de contato dos clientes para o tratamento de reclamações, que sempre são resolvidas por meio de seus apps oficiais, e não pelas redes sociais. A empresa também disse utilizar SMS ou e-mail quando o contato por tais meios não é possível, mas que os clientes sempre serão redirecionados ao site da própria companhia, o uber.com. Ainda, o serviço disse que denuncia contas falsas ao Instagram, que é o responsável pela exclusão dos perfis.

Atitude semelhante é tomada pelo iFood, que disse monitorar a criação de perfis fraudulentos e utilizar canais oficiais para a realização de denúncias. Além disso, a plataforma alerta os consumidores sobre a existência dessas contas e como funcionam seus processos de atendimento, que também são realizados por meio do próprio aplicativo de delivery, na opção “Ajuda”.

A empresa também faz um alerta que serve, na realidade, para todas as outras plataformas — os usuários devem ficar atentos ao selo azul, que garante a autenticidade das contas legítimas e as diferencia das falsas. A recomendação é para que os usuários não compartilhem dados pessoais com terceiros.

Exclusão em massa

O Canaltech também entrou em contato com o Instagram, não apenas solicitando informações sobre a fraude como também indicando a lista de perfis falsos a serem retirados do ar. Em resposta, a rede social disse ter realizado uma investigação e removeu as contas fraudulentas que usavam os nomes da Rappi, Uber Eats e iFood.

Após contato da reportagem, perfis falsos foram deletados do Instagram. Dias depois, porém, novas contas com a mesma finalidade foram cadastradas, novamente com ênfase em usuários da Rappi (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini)

A empresa disse que a segurança das pessoas é uma prioridade e reforçou a indicação para que os usuários prestem atenção no selo de verificação azul quando entrarem em contato com uma contapertencente a um serviço. De acordo com a rede social, esse sinal estará disponível como forma de validar a maioria das contas pertencentes a organizações e figuras públicas.

Entre outras dicas de segurança, o Instagram pediu que os usuários não compartilhem senhas, dados pessoais ou outras informações com contas não verificadas e que desconfiem de links enviados por tais perfis. A rede social pede atenção às URLs, que devem ser verificadas e comparadas com as de sites oficiais das empresas em busca de diferenças que possam indicar uma fraude.

Ainda, o Instagram orienta usuários para que desconfiem de ofertas de produtos ou serviços por preços bem abaixo dos praticados pelo mercado, outro indício de golpe, e incentiva as pessoas a denunciarem perfis que estejam agindo de forma maliciosa, de acordo com tutorial disponível na própria plataforma. No espaço, também é possível encontrar um guia de melhores práticas para não ser vítima de fraudes e também orientações sobre como tornar a própria conta mais segura.

As dicas são válidas, principalmente, quando se percebe que o problema continua. O Canaltech confirmou a exclusão das contas pelo Instagram, mas apenas dias depois, enquanto esta reportagem era produzida, os perfis fraudulentos se passando pelo suporte dos três apps de delivery voltaram a aparecer, assim como as tentativas de contato dos golpistas nas respostas a reclamações feitas nas páginas oficiais.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.