Caixa sofre tentativa de invasão e tira do ar sistemas de benefícios do cidadão

Por Rafael Arbulu | 19 de Agosto de 2019 às 10h55
Tudo sobre

Caixa Econômica Federal

Saiba tudo sobre Caixa Econômica Federal

Ver mais

A Caixa Econômica Federal confirmou ao Estadão Broadcast que sofreu uma tentativa de invasão dos sistemas de benefícios sociais do trabalhador. Na última quarta-feira (14), uma quebra de protocolos de segurança da instituição bancária a forçou a desligar a área de seu site relacionada a consultas de dados relacionados ao FGTS, PIS/Pasep, Bolsa-família e outras informações de saldo, consulta e benefícios liberados ao cidadão.

Segundo a Caixa, foi identificada “na noite de 14 de agosto de 2019, tentativa de acesso indevido ao sistema corporativo que possui informações cadastrais de cidadãos” e que tomou as medidas necessárias para “impedir a concretização de possíveis fraudes e garantir a segurança dos dados dos cidadãos”. Diz a instituição que nenhum usuário foi afetado pois os dados não foram acessados. Até o fechamento desta nota, os sistemas já haviam retornado, porém o site responde com extrema lentidão.

Em nota emitida ao Estadão, a Caixa afirmou que utiliza as “melhores práticas” e ferramentas especializadas em segurança cibernética e atua constantemente na prevenção de eventuais ocorrências de fraudes. O banco diz ainda que realiza o monitoramento das operações e dos acessos aos sistemas que custodiam as informações dos seus clientes e dos cidadãos brasileiros que utilizam seus serviços.

Imagem mostra sistema de benefícios do trabalhador inacessível: tentativa de invasão de sistemas da Caixa Econômica Federal forçou a desligada do sistema desde a última quarta-feira (14) (Imagem: Reprodução/Caixa)

O ataque tomou seu curso faltando pouco menos de uma semana da liberação do pagamento do PIS para trabalhadores registrados. Programada para hoje (19), a liberação do benefício assegura o valor de um salário mínimo anual aos trabalhadores brasileiros que recebem, em média, até dois salários mínimos de remuneração mensal de empregadores que contribuem para o Programa de Integração Social (PIS) ou para o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP). Para ter direito, o trabalhador precisa estar cadastrado no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos, ter recebido remuneração mensal média de até dois salários mínimos durante o ano-base, ter exercido atividade remunerada durante pelo menos 30 dias, no ano-base considerado para apuração, e ter seus dados informados pelo empregador corretamente na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Mais além, o governo federal anunciou, para o dia 13 de setembro, a liberação de R$ 42 bilhões do FGTS de contas ativas (dos contratos atuais) e inativas (de contratos anteriores). Os trabalhadores que atenderem aos requisitos poderão sacar até R$ 500 de cada conta inativa que tiverem em seu cadastro.

Novamente em nota, a Caixa ressaltou que usuários devem manter seus cadastros atualizados, além de lembrar que o número do Cartão Cidadão/NIS e a senha são pessoais e intransferíveis.

Fonte: Estadão

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.