Brasil é o maior alvo de ataques DDos na América Latina

Por Redação | 23 de Maio de 2017 às 11h30

O Brasil foi o maior alvo de ataques de negação de serviço na América Latina ao longo de todo o ano de 2016. De acordo com os dados da Arbor Networks, que publica um relatório anual sobre segurança de redes globais, o país foi o foco de 54% de todos os golpes desse tipo na região, além de também sofrer as tentativas mais poderosas entre os países do bloco. Argentina, Chile, Equador e Colômbia completam o ranking.

O crescimento observado por aqui, claro, também se reflete em todo o mundo. De acordo com as informações da firma de segurança, o total de ataques de negação de serviço aumentou 44%, com cerca de 21 golpes do tipo acontecendo todos os meses. Cresceu também o número de dispositivos envolvidos, com os aparelhos conectados e inseguros da Internet das Coisas cada vez mais integrando redes de máquinas zumbis.

Essa característica também fez com que o volume de dados transmitidos na tentativa de gerar a indisponibilidade de um serviço crescesse vertiginosamente. 2016 foi o ano em que a consultoria registrou o maior ataque já visto desde que edita seu relatório anual, com um golpe de 800 Gbps. A empresa afirma que, desde 2005, o tamanho das tentativas já aumentou mais de 7.900%.

Os maiores alvos são, na ordem, data centers, provedores de serviços, empresas e organizações do governo e educação. Enquanto todas apresentaram crescimento de mais de dois dígitos no total de ataques, o primeiro setor apresentou aumento de “apenas” 8%. Longe de ser um motivo para alívio, o crescimento indica que os focos ainda não se modificaram.

Por mais que ataques de DDoS não resultem em danos físicos a equipamentos ou vazamentos de dados, eles estão gerando problemas. De acordo com os dados do levantamento, 71% das empresas participantes relataram um aumento nas despesas de operação por conta dos golpes, enquanto 42% relataram perdas na receita. A perda de clientes, ainda, foi uma realidade para 33% das companhias atingidas.

Em alguns casos, os custos decorrentes de um golpe desse tipo ultrapassaram US$ 1 milhão, quando se fala em grandes corporações que chegaram a ver até mesmo flutuação no preço de suas ações por conta disso. Entretanto, a média dos custos fica na casa dos US$ 100 mil, com uma estimativa de gastos ou perdas de US$ 500 a cada minuto de indisponibilidade das redes.

A pesquisa da Arbor Networks foi baseada nas respostas de 356 companhias do setor de tecnologia da informação, entre provedores de serviços, empresas de hospedagem, operadores móveis e de rede ou outros. Os dados abrangem o período de novembro de 2015 a outubro de 2016.

Fonte: Arbor Networks

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.