Ataques de phishing fazem maior número de vítimas no Brasil

Por Redação | 03 de Julho de 2015 às 09h16

Phishing é um termo usado para definir uma ação fraudulenta caracterizada por tentativas de adquirir ilicitamente dados pessoais de outra pessoa, sejam senhas, dados financeiros, dados bancários, números de cartões de crédito ou simplesmente dados pessoais. Você pode não estar familiarizado com o termo, mas saiba que esse tipo de ataque é muito mais comum do que imagina.

Um estudo realizado pela empresa de segurança Kaspersky Lab revelou que apenas durante o primeiro trimestre de 2015 os antivírus da empresa registraram mais de 50 milhões de detecções pelo sistema antiphishing, o que revela um aumento de um milhão em comparação ao último trimestre de 2014.

Esse número é realmente preocupante, principalmente pelo fato do Brasil estar em primeiro lugar quando o assunto é volume de usuários atacados. Embora tenha diminuído 2,74% no primeiro trimestre, os brasileiros continuam sendo as vítimas preferidas dos phishers e representam 18,28% dos ataques no índice mundial. Índia (17,73%) e China (14,92%) também estão no pódio.

Posição País % de usuários atacados
1 Brasil 18,28%
2 Índia 17,73%
3 China 14,92%
4 Cazaquistão 11,68%
5 Rússia 11,62%
6 Emirados Árabes Unidos 11,61%
7 Austrália 11,18%
8 França 10,93%
9 Canadá 10,66%
10 Malásia 10,40%

Setores mais atingidos

Quanto aos setores de atividade mais visados pelos cibercriminosos, os Portais Internacionais da Internet ocupam o primeiro lugar com 25,66% dos ataques dirigidos. Bancos (18,98%) estão em segundo lugar, seguidos de "Lojas Online” (9,68%), que foram atacadas 2,78% mais do que no no ano passado. “Provedores de Telefonia e Internet”, “Mensagens Instantâneas”, “Jogos Online”, “Empresas de TI”, “Organizações Estatais”, “Empresas de Logística e Meios de Comunicação em Massa” são alguns dos setores mais afetados.

Confira o gráfico completo:

Gráfico Phishing

Caso DHL

O caso das empresas de logística merece destaque, pois embora representem apenas 0,23% do percentual total de ataques, elas tiveram um aumento significativo nos últimos tempos. O caso da DHL, a maior empresa de logística do mundo, chama a atenção por um motivo especial: a companhia entrou no top 100 de empresas utilizadas como isca de phishing.

Pesquisadores da Kaspersky Lab detectaram uma série de mensagens em que os criminosos propunham comprar mercadorias de uma dessas empresas e, quando o cliente demonstrava interesse, exigiam o pagamento adiantado para o serviço de envio e apresentavam notas falsas com o logotipo da empresa. De acordo com a Kaspersky Lab, depois de receber o dinheiro, os cibercriminosos desapareciam.

Além disso, essas mensagens geralmente continham anexos maliciosos escondidos ou links falsos para cadastro, que os criminosos recomendavam abrir para completar o processo de entrega. Este método é usado, muitas vezes, para coletar endereços ativos e informações pessoais dos usuários.

DHL

Redes sociais também são alvos de phishing

Redes sociais merecem menção especial, já que no primeiro trimestre de 2015 foram vítimas de phishers 17,35% das vezes. O pódio das organizações neste setor se mantém inalterado em relação ao trimestre anterior. Facebook (10,97%), Google (8,11%) e Yahoo! (5,21%) são as três plataformas mais utilizadas nos ataques, ainda que o número de phishing contra a última empresa continue a cair gradualmente e, neste trimestre, tenha tido uma queda de 1,37%.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.