Apple dá dicas para que usuários de iOS não caiam em golpes

Por Felipe Demartini | 01 de Março de 2018 às 12h15
photo_camera Wallpaper Wiki
TUDO SOBRE

Apple

A Apple atualizou seu serviço de suporte online com a inclusão de uma página específica para auxiliar os usuários a identificarem possíveis golpistas usando o nome da empresa. O phishing, como é chamado, é uma das categorias de fraude online mais antigas – precedendo até mesmo a existência da internet – e, apesar disso, continua sendo uma das mais eficazes para a instalação de malwares ou obtenção de dados pessoais.

Ao se passar por uma empresa ou serviço legítimo, neste caso a Apple, criminosos tentam fazer com que suas possíveis vítimas instalem softwares ou forneçam informações. Tais dados são usados em novos golpes voltados para a obtenção de valores, clonagem de cartão, roubo de identidade e uma lista gigantesca.

Tão simples quanto o golpe em si, entretanto, é a identificação do e-mail como tal. A Apple cita o uso de recibos falsos de compras na loja virtual iTunes ou aquisições de mais espaço no iCloud como as principais maneiras pelas quais os golpistas estão tentando atingir os usuários de seus produtos. Descobrir a verdade, entretanto, soa simples: basta verificar se a mensagem conta com o endereço de cobrança cadastrado pelo usuário.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A empresa cita essa como a grande maneira de identificar uma fraude, uma vez que hackers dificilmente terão esse tipo de informação dos usuários – na verdade, é justamente de coisas assim que eles estão atrás. Além disso, aponta para o fato de que jamais solicitará, por e-mail, dados como nome dos pais, endereço, números de identidade ou cartão de crédito. Eles não devem ser enviados desta maneira em hipótese alguma.

A última dica é evitar links e buscar realizar alterações e acesso por meios próprios. A realização de atualizações na conta, que podem ser solicitadas por e-mail, também pode ser feita por meio das telas de configurações do iPhone ou pelo site oficial da Apple, acessível diretamente pelo navegador do usuário. O ideal é tomar cuidado com a inserção de senhas e somente fazer isso quando tiver certeza de que está acessando um ambiente legítimo.

No restante do tempo, o ideal é ignorar as mensagens – ou encaminhá-las para a própria Maçã, que criou um serviço de assistência para esse fim. Caso o usuário desconfie que caiu em um golpe desse tipo, a orientação é mudar imediatamente não apenas a senha de acesso aos serviços da Apple, mas também de outras plataformas que utilizam as mesmas credenciais.

Outro bom método para evitar cair em golpes desse tipo é comparar o endereço responsável pelo envio da mensagem com outros e-mails que o usuário sabe serem legítimos. Por mais que consigam copiar a aparência, o design e a linguagem de comunicações oficiais, os golpistas jamais serão capazes de utilizar o domínio efetivamente pertencente à empresa.

Por fim, use o bom senso. Caso desconfie estar diante de uma tentativa de phishing, o melhor é não clicar em links nem atender aos pedidos dos golpistas. Procure o suporte oficial e também os serviços de atendimento para ter certeza do que está acontecendo e dele as mensagens supostamente fraudulentas, mesmo que elas tenham sido encaminhadas por contatos conhecidos.

Fonte: Apple

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.