Após vazamento, governo dos EUA proíbe militares de usarem apps com GPS

Por Felipe Demartini | 07 de Agosto de 2018 às 10h53

O Pentágono, a sede dos serviços de inteligência e defesa dos Estados Unidos, emitiu ordem proibindo militares, oficiais e outros membros de suas forças de utilizarem aplicativos com GPS ou que revelem a localização exata de seus usuários. A medida vale para jogos, apps fitness e outros como uma resposta aos recentes vazamentos possibilitados pelos softwares que realizam o rastreio de exercícios físicos.

A ordem foi emitida pela central nesta segunda-feira (7) e vale, principalmente, para oficiais envolvidos em operações secretas ou de natureza sensível, bem como para aqueles que estão em bases militares em zonas de conflito ou outros locais cuja localização ou estrutura não possa ser revelada ao público. Em perigo, afirma o Pentágono, está a segurança nacional, com a disponibilização pública de dados desse tipo colocando vidas em risco e também liberando segredos de estado que podem cair nas mãos de inimigos.

No memorando, obtido pela imprensa internacional, a preocupação não se resume apenas a questões de localização em si, mas também à liberação de informações pessoais e rotinas diárias, bem como a quantidade de pessoas envolvidas em uma operação. A medida vale para todos os dispositivos utilizados pelos oficiais, sejam eles pessoais ou dados pelo governo, e dá autonomia a dirigentes locais para liberação ou maior estreitamento das regras, de acordo com critérios de confidencialidade das operações realizadas em cada local.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A medida é uma resposta a dois escândalos recentes de segurança, que envolveram os apps fitness Strava e Polar Flow. Em ambos os casos, estamos falando de softwares para rastreamento de exercícios de corrida, que registram a rota percorrida pelo usuário, com distância e velocidade, para montagem de um histórico e análise posterior. O problema é que tais informações também eram disponibilizadas publicamente, às vezes de maneira anônima, mas em outros casos não, acabando por revelar, também, as rotinas de militares no exterior.

No caso do Strava, o vazamento aconteceu quando a empresa liberou um mapa de calor, de forma a enaltecer os locais preferidos de seus usuários para a prática da corrida. O problema é que, em meio a pontos tradicionais e turísticos, estavam também rotas percorridas de maneira repetida em locais não-mapeados no Afeganistão, Iraque e outros países, com o caminho percorrido pelos soldados indicando a localização de bases militares e, também, seu layout. Com o Polar Flow, a situação era ainda pior, já que uma manipulação nas URLs permitia ter acesso a dados de usuários específicos.

As polêmicas aconteceram em janeiro e julho deste ano, respectivamente, e agora resultam em uma ação por parte das autoridades dos Estados Unidos, em medidas que já haviam sido adiantadas pelos responsáveis. Celulares, tablets, relógios inteligentes e outros gadgets continuam a fazer parte do rol de equipamentos utilizados pelos militares, mas, agora, o pedido é por mais cautela na utilização de serviços com localização e, principalmente, uma restrição completa quanto ao compartilhamento de tais informações na internet.

Tanto a Strava quanto a Polar responderam às polêmicas envolvendo seus produtos. A primeira pediu desculpas pelo problema e removeu de seu mapa de calor as localizações consideradas sensíveis, enquanto a segunda reconheceu a brecha de segurança e desabilitou o acesso a todas as APIs que possibilitavam o acesso irregular. A companhia disse, ainda, que boa parte de seus usuários não foram afetados pela brecha, pois mantêm suas configurações de localização em modo confidencial; números preliminares, entretanto, indicavam um total de 30 milhões de perfis afetados, sendo mais de seis mil apenas em setores militares ou de inteligência.

Fonte: Forbes

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.