Aplicativos de espionagem são os malwares mais presentes em celulares

Por Redação | 18 de Setembro de 2015 às 08h29

Uma pesquisa sobre segurança móvel da Alcatel-Lucent revelou que o uso de aplicativos de espionagem é o tipo de ataque que mais cresce em celulares e tablets. Dos 25 malwares instalados em smartphones, 10 são spywares. Esses apps permitem monitorar a localização do usuário pelo GPS do aparelho, e também invade o histórico de ligações realizadas e recebidas, mensagens de texto, navegação e e-mails.

Outros programas danosos comumente encontrados em aparelhos são aplicativos de extorsão (scareware), roubo de dados (phishing), cavalos de troia (trojan), apps de propaganda invasiva (adware) e de roubo de conexão de dados (app Proxy).

Também de acordo com o estudo, 80% dos malwares encontrados estão em redes ligadas a PCs e notebooks com Windows, enquanto os 20% restantes ficaram com dispositivos que usam Android. A companhia compara esses dados com os coletados em junho de 2014, quando 60% dos aparelhos infectados rodavam Android e 40% Windows e alerta para o crescimento da preferência dos hackers por atacarem computadores com o sistema operacional da Microsoft.

No entanto, mesmo com essa mudança de alvo, a pesquisa diz que o número de celulares com Android infectados com malwares mais que dobrou no primeiro semestre de 2015 em relação ao ano anterior. O aplicativo espião que gerou maior número de vítimas nesse período foi o Kassandra.B, um trojan que dá acesso ao conteúdo de mensagens SMS, lista de contatos, registro de chamadas e históricos de navegação.

Fonte: Mobile Time