Analista da Kaspersky Lab alerta para a falta de segurança em dispositivos IoT

Por Redação | 07 de Setembro de 2015 às 11h41

A Internet das Coisas está mais presente em nosso dia a dia do que se imagina. Segundo projeções da indústria, até 2020, mais de 37 bilhões de dispositivos estarão conectados. Hoje, somente na América Latina, já existem mais de 1,5 milhão de aparelhos ativos.

Mas para Roberto Martinez, analista de segurança da Kaspersky Lab, empresa líder global de pesquisa e análise, esse crescimento não vai trazer somente benefícios aos usuários. Ele afirma que grande parte destes equipamentos é criada com foco na sua funcionabilidade em uma casa inteligente, mas não leva em conta os quesitos de segurança.

A declaração foi feita por Martinez na 5ª Conferência Latino-americana de Cibersegurança da Kaspersky, que aconteceu em São Paulo no final do mês passado. Durante sua apresentação, o analista demonstrou como uma fechadura convencional que se comunica com o smartphone do usuário via Bluetooth pode facilmente ser hackeada por um cibercriminoso.

A fechadura custa, em média, US$ 199, e pode ser encontrada em lojas internacionais de automação residencial. Para abrir, o usuário usa uma chave digital criada em seu smartphone e nos dispositivos das outras pessoas da casa. Então, basta tocar a fechadura com o celular no bolso para que a porta abra.

O criminoso consegue ter acesso a essa chave com um adaptador USB simples de Bluetooth. Ele vai interceptar a comunicação entre o dispositivo do usuário e a fechadura digital, clonando a chave para entrar sem precisar arrombar a porta.

"A tecnologia Bluetooth Smart está alavancando a Internet das Coisas. No entanto, não está livre de vulnerabilidades. Nos países latinos, falamos ‘minha casa é sua casa’ para deixar nossa residência à disposição de amigos. No entanto, se não consideramos a segurança em dispositivos conectados à internet, os criminosos poderão dizer o contrário: sua casa é minha casa", comentou Martinez.

O analista ainda dá algumas dicas para quem pretende investir em uma casa inteligente, mas se preocupa com a segurança.

  • Sempre altere a senha padrão que acompanha o dispositivo;
  • Mantenha o firmware sempre atualizado para a versão mais recente;
  • Desabilite as conexões de rede que não estiver utilizando;
  • Inclua uma segmentação da rede para os dispositivos conectados;
  • Desligue as funções desnecessárias;
  • Sempre leia o manual.

Fonte: IDG Now

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.