Amazon e Microchip desenvolvem plataforma de segurança para Internet das Coisas

Por Redação | 30 de Agosto de 2016 às 16h39
photo_camera Microchip

É praticamente uma unanimidade que uma das grandes ondas para o futuro é a Internet das Coisas. Trata-se de uma ideia em que qualquer objeto pode ser conectado à grande rede. Como exemplo podemos citar as lâmpadas Hue da Philips, cujas cores da iluminação podem ser controladas por meio de um aplicativo para celular. Estima-se que haverá 24 bilhões de dispositivos conectados em 2020, com oportunidade de negócios de cerca de US$ 6 trilhões, de acordo com o site Business Insider.

Como qualquer aparelho conectado à internet, a segurança é um ponto importante, e uma parceria entre a Amazon Web Service, serviço de hospedagem e cloud da gigante do comércio eletrônico, e a Microship, fabricante norte-americana de circuito integrado analógicos, firmaram um parceria para desenvolver uma plataforma de segurança para a Internet das Coisas.

Um dos maiores desafios é a comunicação entre o dispositivo e o serviço de cloud ao qual está conectado. Os fabricantes precisam gerar, de modo seguro, uma chave de criptografia única para cada dispositivo, proteger a confidencialidade da chave pela cadeia de fabricação, garantir que o usuário final poderá estabelecer uma conexão segura com o servidor web e proteger essas chaves durante todo ciclo de vida do produto.

De acordo com Eustace Asanghanwa, engenheiro de marketing de produto da Microchip, as soluções existentes hoje são muito caras e com uma logística muito complicada. Para facilitar a vida dos fabricantes, a companhia desenvolveu o ECC508, um circuito inter-integrado que vai sob o processador principal do dispositivo. Ou seja, é preciso apenas adicionar o chip à placa do aparelho. O ECC508 contém várias camadas de segurança, tanto lógica como físicas.

Com esse chip, um dispositivo de Internet das Coisas pode se conectar com o Amazon Web Server para registrar a certificação no momento da primeira conexão, usando uma certificação de raiz, que são muito confiáveis. Embora grande parte das tarefas sejam feitas pelo produto da Microchip, a administração das chaves continua sendo da fabricante do aparelho e do usuário final. O ECC508 possui proteção contra pirataria e clonagem, impedindo a reutilização das identificações de dispositivo e o registro feito fora da localização geográfica esperada.

Fontes: Business Insider, EE Times

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.