Não fique de fora da Era dos sistemas colaborativos

Por Lucas Vieira | 12 de Setembro de 2019 às 11h00
KenoKickit/Shutterstock

Muitos itens indispensáveis são imperceptíveis à maioria das pessoas. Esse é o caso da Entropia Randômica em segurança da informação e criptografia, que cria uma barreira contra invasões e obtenção de informações sigilosas e sensíveis trafegadas no meio eletrônico por meio de força bruta computacional.

O uso mais comum e que nem sabemos quando está acontecendo se dá quando acessamos um simples site na internet que possui um Certificado SSL – responsável por encriptar mensagens trafegadas entre o servidor da aplicação e o navegador da internet e realizar o Handshake entre as duas aplicações – instalado e válido em seu domínio. Entre os demais usos estão, as audições de eleições, loterias e até mesmo em criptomoedas e blockchain.

A grande questão é que os computadores são determinísticos e estas operações aleatórias são na verdade pseudo-randômicas. Isso significa que de algum modo podem ser previstos resultados futuros, o que comete em quebra de segurança.

Recentemente a The League of Entropy encontrou uma forma de buscar fontes descentralizadas de entropia – grau de desordem universal – para garantir números realmente aleatórios e imprevisíveis, com o intuito de incrementar segurança aos processos de cifragem de mensagens, utilizados pelos algoritmos criados para esta finalidade. Neste caso, quanto mais contribuidores e geradores de entropia, melhor para a segurança do processo, que inclui a geração distribuída de chaves e sua subsequente assinatura, cada contribuidor com uma parcial do schema total.

Para exemplificar, a Cloudflare fez uma analogia da seguinte maneira: Se cada participante-contribuidor tem uma pizza, cada um deles retira um pedaço e distribui aos demais. Daí, todos os participantes podem criar uma nova pizza com seu próprio pedaço e os pedaços dos demais participantes. Os membros da League of Entropy incluem Kudelski Security, Protocol Labs, o Swiss Federal Institute of Technology (École Polytechnique Fédérale de Lausanne ou EPFL), e a Universidade do Chile.

Tecnologias com diversas fontes de confiança estão fazendo emergir um novo mercado, em que a contribuição cria e fortalece produtos estáveis e com maior durabilidade para um setor mais sustentável e longevo. O futuro é mais contributivo do que concorrencial.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.