Yahoo!, Google e Facebook são principais alvos de ataques de phishing

Por Redação | 05 de Setembro de 2014 às 07h20

Dados de uma nova pesquisa da Kaspersky Lab mostraram que o volume de spam no segundo trimestre de 2014 foi de 68,6%, um aumento de 2,2% se comparado ao trimestre anterior. O mês que apresentou maior volume de spam foi abril.

Os resultados mostram que, no período, os países que mais geraram spam foram os Estados Unidos (13,4%), Rússia (6%) e Vietnã (4,9%). Já entre as empresas que foram mais ameaçadas com este tipo de conteúdo foram Yahoo!, Google e Facebook.

Em relatórios anteriores, a Kaspersky Lab baseava sua seleção nas 100 organizações mais atacadas para realizar sua análise de ataques de phishing no período. Neste trimestre, no entanto, a agência incluiu todas as organizações que foram vítimas de ataques.

Assim como no primeiro semestre do ano, a categoria “portais globais de internet” continua ocupando o primeiro lugar, com uma redução de 1,7% dos ataques, mas ainda representando 48,99% do total. Neste caso, o ataque mais frequente é a falsificação das páginas de autenticação dos serviços de e-mail dos portais.

Phishing kaspersky

A empresa também constatou que houve aumento de 1,8% dos ataques de phishing financeiro em relação ao primeiro semestre - este tipo de ataque representa 24,84% do total. Aumentaram também os índices em categorias como bancos (+0,93%) e lojas online (+0,85%).

Uma queda considerável foi vista nos ataques destinados ao Facebook. No primeiro trimestre, a rede social foi alvo de 79,5% das tentativas de redirecionamento para páginas falsas, enquanto no segundo semestre esse número foi de 55,91%, uma queda de 23,54%. Outras redes sociais que também foram alvos de ataques foram o Twitter, com 8%, e o Pinterest, com 3% dos ataques.

O relatório também considera as organizações mais atacadas do mundo. No primeiro trimestre o Yahoo! liderou o levantamento sendo alvo de 31,94% dos ataques de phishing. No segundo trimestre a empresa norte-americana manteve a liderança com 30,96% do total.

O Google vem em seguida com 8,68%, passando o Facebook, que neste período foi o terceiro mais atacado com 8,1% das tentativas. A estratégia de ataque às páginas do Google também mudou: antes os cibercriminosos falsificavam a página de entrada do Gmail, mas agora eles concentram seus esforços em falsificar as demais páginas de autenticação comuns a todos os serviços do Google.

No que se refere aos países que mais geram spam, os Estados Unidos lideram a lista com 13,4% do volume de e-mail não solicitado enviado para todo o mundo. O restante dos países onde este tipo de mensagem é gerado é distribuído mais uniformemente. A Rússia fica em segundo lugar com 6% do spam mundial e em terceiro o Vietnã com 5%. A distribuição mais uniforme dos países se deve às botnets estarem distribuídas pelo mundo, com máquinas infectadas em todos os países.

Phishing kaspersky
Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.