Thomson Reuters apresenta solução de governança para segurança de informação

Por Rafael Romer | 20 de Setembro de 2013 às 16h55

A Thomson Reuters apresentou nesta quinta-feira (19) sua nova solução de governança corporativa para segurança da informação, a BoardLink. Voltada para áreas que lidam com grande quantidade de compliance e regulamentações, como o setor financeiro, de seguros e empresas de capital aberto, a ferramenta permite que membros do conselho corporativo destas empresas compartilhem conteúdo chave de forma segura em um ambiente fechado e criptografado. "Nosso foco é ter uma solução compreensível para organizações e começar pelo topo, pois são os conselhos administrativos que dão o tom e estratégia de uma organização", afirmou Donald Peele, Diretor da vertical de Governança, Riscos e Compliance (GRC) para América Latina da Thomsom Reuters. "E o BoardLink ajuda nesse sentido por reunir todas as informações que um board de diretores pode precisar para operar um negócio e suas políticas de gerenciamento de riscos".

O BoardLink funciona como um serviço em nuvem que permite que membros do conselho de uma empresa acessem um repositório de dados de informações através da web ou de um iPad. Atualmente, as informações colocadas no BoardLink ficam armazenadas nas bases de dados da própria Thomsom Reuters, em servidores nos Estados Unidos ou Europa, à escolha do cliente. Segundo os executivos da empresa, caso a legislação que obriga que empresas que atuem no país armazenem dados dentro do Brasil permita, serão feitas mudanças para adaptar a solução. Atualmente, a Thomsom Reuters não possui Data Centers no Brasil.

O serviço possui duas versões básicas: a de administração, que pode ser acessada por secretários executivos e permite maior número de configurações, e a voltada para o usuário final, que permite menos interações. Dentro da plataforma é possível definir perfis de acesso, grupos de acesso, troca de mensagens entre os membros, votações sobre decisões do conselho administrativo, além do upload e download de documentos, atas e notas. Também é possível contratar uma série de serviços extras para a plataforma, como informações e notícias da agência de notícias Reuters sobre a área do seu negócio. Ainda não há versões do BoardLink para outras plataformas, como o sistema operacional Android.

Thomsom Reuters

O Gerente de Desenvolvimento de GRC para América Latina, José Leonelio (à esq), e Donald Peele, Diretor da vertical de GRC para a América Latina da Thomsom Reuters (à dir). (foto: divulgação)

Com o produto, a empresa propõe a diminuição no uso de memorandos e dos boardbooks, documentos impressos que costumam ser fonte de vazamento de informações sigilosas quando não são devidamente descartados, assim como de ambientes não seguros de troca de mensagens, como os serviços Gmail ou Outlook. "Quando você gera esse conjunto bastante grande de informações estratégicas que o conselho precisa para poder decidir, você não tem controle de como isso é destruído. As trituradoras convencionais já não são mais seguras e, além disso, você não tem controle sobre todos os conselheiros de uma empresa, se vão destruir seus papéis e jogá-los no lixo ou não", explica José Leonelio, Gerente de Desenvolvimento de GRC para América Latina. Atualmente, as empresas criam cerca de 92 boardbooks por ano, com média de 116 páginas, o que gera mais de 10 mil páginas de material sigiloso a cada ano.

Segundo um levantamento realizado pela empresa no ano passado, 80% dos empresários ouvidos disseram que têm dúvidas se a comunicação entre membros do conselho é parcial ou completamente desprotegida. A pesquisa Annual Board Governance, que foi realizada com 125 conselhos gerais e secretários corporativos de empresas, inclusive no Brasil, também revelou que 25% dos entrevistados afirmam que seus conselhos não estão comprometidos ativamente na supervisão de riscos. E apenas 18% criptografam ou já criptografaram as informações compartilhadas entre membros do conselho.

Já com alguns clientes no Brasil (a Thomson Reuters não revela quantos são), o produto agora está oficialmente disponível em português e também possui suporte de inteligência estratégica local, com informações sobre bolsa de valores e avaliações de analistas locais. O preço da ferramenta varia conforme o número de conselheiros que usarão o serviço em uma empresa.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.