Segurança ainda é principal barreira para brasileiros adotarem m-commerce

Por Redação | 24.02.2015 às 11:33

O estudo "M-commerce em mercados emergentes" produzido pela ConsumerLab para a Ericsonn explora as tendências relacionadas ao m-commerce nos mercados emergentes da África, Ásia e América Latina e destaca que o serviço tem grande potencial de crescimento em países como Brasil, México e Argentina. No entanto, a principal barreira para a adoção é a grande desconfiança do consumidor em relação à segurança.

O rápido crescimento no número de smartphones vendidos no Brasil tornou o m-commerce cada vez mais próximo do nosso cotidiano. De acordo com a pesquisa, que foi destaque no TI Inside, 21% dos usuários de celulares utilizam alguma ferramenta de m-commerce para adquirir bens ou serviços, 8% usam a tecnologia para pagar contas e 6% para transferir dinheiro.

A pesquisa também revela que, nas regiões pesquisadas, apenas uma minoria da população tem conta em banco. "Na América Latina, 61% da população não está incluída no sistema bancário, quase metade da força de trabalho está empregada de maneira informal e o dinheiro ainda é o método mais frequente de pagamento, o que gera preocupação extra com a segurança na hora de realizar compras", explica o especialista da ConsumerLab na América Latina, André Gualda.

O que mais motiva o uso de serviços financeiros móveis nesses mercados é a comodidade, seguida da rapidez e facilidade adicional do usuário em não precisar recorrer ao dinheiro vivo nas transações. Vale ressaltar que uma das razões do dinheiro em espécie ainda ser muito utilizado na realização dos negócios é a rapidez, transparência no pagamento e a possibilidade de um controle mais direto das pessoas sobre seus gastos.

De acordo com a pesquisa, cerca de 56% dos brasileiros que ainda não utilizaram serviços de m-commerce acreditam que a falta de segurança é a principal barreira para adotar a tecnologia. Segundo Gualda, "a segurança é, sem dúvida, a principal barreira para os brasileiros, principalmente pelo fato de relacionarem ao m-commerce experiências negativas comuns no país, como fraudes de cartão de crédito e até mesmo furtos ou roubos de celulares".

Apesar dos empecilhos, a quantidade de usuários de serviços de m-commerce deve crescer significativamente. No futuro, a expectativa é que o número de usuários de pagamentos móveis no Brasil, México e Argentina dobre. Já o número de consumidores que optam por realizar transferências e pagamento de contas com a tecnologia deve triplicar. O estudo ressalta que a adoção dos serviços de m-commerce dependerá muito da confiança dos consumidores no sistema e nas ferramentas de que eles necessitam.

A introdução do m-commerce em países emergentes traz muitas vantagens, especialmente em regiões mais pobres onde a falta de infraestrutura e o comércio insuficiente prejudicam a prática de negócios. O pagamento móvel ajuda a aumentar a atividade econômica e facilita as transações diárias.

Fonte: http://convergecom.com.br/tiinside/seguranca/mercado-seguranca/24/02/2015/estudo-diz-que-seguranca-ainda-e-barreira-paras-brasileiros-adotarem-m-commerce/#.VOx-QCzkU8X