SINIAV: prepare-se para usar um chip de rastreamento em seu veículo!

Por Redação | 23 de Setembro de 2013 às 14h52

O primeiro processo licitatório para o Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos (Siniav) foi vencido pela empresa carioca de TI, a Seagull Tecnologia, em Roraima.

Roraima possui uma frota de apenas 150 mil veículos, bem longe dos 25 milhões do Estado de São Paulo. A empresa também vai submeter sua proposta a outras licitações em outros estados.

O que é o Siniav?

O Siniav será obrigatório e deverá estar ativado em todo o país até meados de 2014. O sistema, que foi desenvolvido pelo governo federal, permitirá a fiscalização da frota nacional, ajudando a evitar roubos e furtos de veículos e cargas, além de controlar o tráfego, restringir acesso em zonas urbanas, fiscalizar velocidades médias, aplicar multas e outras funcionalidades agregadas graças ao sistema inteligente utilizado por trás dos chips.

Os benefícios do sistema

Com o Siniav, os chips terão dados do chassi, placa e Renavam dos veículos. O projeto prevê antenas receptoras em diversos pontos estratégicos das cidades, que receberão e transmitirão as informações sobre os veículos. Os benefícios podem ser muitos, como no caso de um veículo roubado, que ao passar pela antena avisa a polícia imediatamente a sua localização, sendo possível triangular e rastrear o paradeiro do carro.

O chip é agregado ao veículo. Ao ser retirado, ele é automaticamente desativado. Mas, ao passar por uma antena, o Siniav indicará que aquele veículo não está com o dispositivo operante e, assim, poderá ser abordado pelas autoridades para averiguação.

O sistema não funciona como um GPS, já que não possui um caráter de monitoramento do trajeto. Os pontos positivos e os benefícios do Siniav são muitos. Durante uma blitz, o sistema poderá indicar os veículos que possuem alguma irregularidade na documentação, para serem parados e autuados. Há também vantagens no controle do tráfego, já que o sistema permitirá identificar e comparar o fluxo de veículos entre ruas de determinada região, evitando que sinais fiquem fechados por muito tempo sem necessidade.

A polêmica

Por outro lado, o Siniav vem sendo criticado por muita gente. Existe a questão da privacidade, já que quem tiver acesso ao Siniav poderá saber onde você esteve, que horas e outros detalhes. Todos os dados contidos nos chips serão criptografados, mas se esse tipo de informação puder ser hackeada e cair em mãos erradas, não é difícil imaginar o que pode acontecer.

Outra polêmica gira em torno dos custos de se manter essa operação, usando capital que poderia ser investido em outras melhorias, como nas estradas, segurança e sinalização, ou até em outras áreas, como educação e saúde.

Gostando ou não da novidade, o Siniav parece ser inevitável, e dentro de alguns meses será obrigatório em toda frota de veículos do Brasil. Prepare-se!

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.