Redes sociais são sites mais bloqueados por pais no Brasil, aponta levantamento

Por Rafael Romer | 23 de Maio de 2013 às 19h31

As redes sociais são os sites mais bloqueados por pais através de softwares de controle parental no Brasil, aponta um levantamento da empresa de segurança Kaspersky, divulgado nesta quarta-feira (22).

De acordo com dados anônimos de usuários que participam da rede de segurança KSN, coletados durante os meses de janeiro a maio deste ano, sites sociais equivalem a 58% dos bloqueios feitos por pais. Em segundo lugar ficam os sites de softwares ilegais, bloqueados por 13,47% dos pais e, em terceiro lugar, conteúdo pornográfico, bloqueado por 13,23% dos responsáveis.

Na lista das páginas mais bloqueadas, aparece em primeiro lugar o Facebook, além dos seus servidores secundários, como as páginas de fotos, comunidades, perfis e o Facebook mobile. Também estão na lista sites como o YouTube, Twitter, BitTorrent, Blogger e Hao 123 - página chinesa que costuma instalar toolbars juntamente com softwares livres.

O levantamento apurou ainda que a maioria dos horários de bloqueio de acesso à Internet acontece entre 13h e 18h, período no qual os filhos costumam ficar em casa sozinhos após a escola e antes de os pais chegarem do trabalho.

Principalmente no caso de redes sociais, onde o conteúdo exposto em perfis de crianças pode chegar às mãos, inclusive, de grupos criminosos, é necessário que os pais estejam de olho. É o que orienta o analista sênior de segurança da Kaspersky, Fábio Assolini. "Os pais precisam aprender, seus filhos adolescentes estão expondo muito conteúdo particular e pessoal nas redes sociais. Os pais devem conhecer as ferramentas de privacidade oferecidas pela própria rede para trancar esse conteúdo", sugere.

Para o analista, o ambiente digital oferece diversas ameaças que exigem que os pais não só fiquem próximos aos hábitos de navegação de seus filhos, mas também os oriente para uma navegação mais segura. "A educação não deve ocorrer só na escola, mas também em casa. Os pais também devem manter o diálogo aberto com seus filhos", explica.

Kids Online Brasil 2012

Os resultados do levantamento da Kaspersky são similares aos apurados pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) em sua mais recente pesquisa TIC Kids Online Brasil 2012. Para 55% dos pais brasileiros, uma "navegação segura" é sinônimo de "não falar com pessoas desconhecidas", uma atividade que tipicamente acontece em um ambiente de redes sociais.

Terceira categoria mais bloqueada por usuários de controle parental, a pornografia aparece em segundo lugar no levantamento do CGI, com 32% afirmando que "não entrar em sites que tenham conteúdos pornográficos" faz parte de uma navegação segura.

Segundo o levantamento do CGI.br, o uso de redes sociais é a segunda atividade mais comum entre jovens brasileiros de 9 a 16 anos na internet, realizada por 68% dos entrevistados. A atividade é precedida apenas pelo uso da rede para trabalho escolar (82%). Os números sobre compartilhamento de informações pessoais também impressionam: 86% das crianças e adolecentes publicam fotos de rosto em seus perfis, 69% publicam seu sobrenome e 28% declaram a escola onde estudam.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.