Quatro previsões para a segurança virtual em 2014

Por Redação | 20 de Dezembro de 2013 às 11h04

A Symantec divulgou esta semana as suas previsões para a segurança virtual em 2014, principalmente para aparelhos móveis que já somam mais de 70 milhões de unidades no país. São quatro ítens que devem ficar no foco da segurança virtual.

“O segredo para qualquer previsão no segmento de segurança virtual é procurar ouvir o sussurro ou ver aquilo que parece estar escondido. Para o próximo ano, enxergo que as pessoas finalmente começarão a agir a favor de suas privacidades online”, disse Otto Stoeterau, especialista de segurança da Symantec. Para a empresa, é importante que as pessoas entendam que o perigo online está em qualquer parte, até mesmo em comportamentos inocentes.

1) As pessoas tomarão medidas para manter suas informações seguras.

Durante este ano, questões relacionadas à privacidade foram manchete e serviram para despertar as pessoas e empresas sobre a quantidade de informações compartilhadas pela Web todos os dias e no mundo todo. Por isso, será comum encontrar softwares de segurança – novos ou já existentes – que contemplem a proteção de informações pessoais como uma característica principal do produto.

Além disso, como parte da precaução online, a Symantec aponta um aumento no número de usuários adotando codinomes e nomes falsos em redes sociais. Neste contexto, os adolescentes liderarão este comportamento e facilitarão o encontro na obscuridade da Internet.

2) Nenhuma rede social deve ser vista como pequena demais para ser ignorada pelos cybercriminosos.

Qualquer rede social que atraia usuários também chamará atenção dos golpistas e criminosos virtuais. Infelizmente, os usuários não estão protegidos completamente em meios colaborativos, por mais que acreditem estar se relacionando apenas com parentes e amigos. É muito importante que as pessoas sempre sigam as boas práticas de segurança, inclusive nas mídias sociais. Por exemplo, verificar a procedência da rede social antes de oferecer qualquer tipo de informação, manter o nome completo e endereço em sigilo quando acessa um perfil social e pensar bem antes de postar qualquer tipo de informação pessoal ou profissional e fotos pessoais.

3) A Internet das Coisas se torna alvo das vulnerabilidades

A adoção crescente de dispositivos móveis conectados à Internet é um imã para os cybercriminosos. Este cenário faz com que pesquisadores na área de segurança tenham descoberto ataques recentes a smart TVs, equipamentos médicos e câmeras de segurança, por exemplo, todos conectados à Web. No mundo real, babás eletrônicas foram alvos e houve relato de que o tráfego foi interrompido em um importante túnel de Israel por conta de hackers que teriam acessado sistemas online a partir de câmeras de segurança.

4) Aplicativos móveis podem trair o usuário

Recentemente, um app garantia, supostamente, a maior quantidade de “curtir” em publicações no Instagram. Bastava que o usuário oferecesse o login e senha a um cybercriminosos russo. Ao todo, mais de 100 mil pessoas não viram problema nenhum neste comportamento. Esta alta confiabilidade dos aparelhos móveis será o foco dos criminosos virtuais em 2014.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!