Qual o real valor de seu smartphone para os cibercriminosos?

Por Redação | 07.05.2013 às 12:14

Você já parou para pensar quantas informações guarda no seu smartphone? E-mails, fotos, números de telefone, informações de contatos, redes sociais, os lugares que você frequenta, mensagens de texto, arquivos pessoais... E se o seu telefone tem acesso a recursos ou informações sobre sua empresa, ainda vale lembrar dos documentos de trabalho, compromissos da agenda, propostas, dados de clientes ou até mesmo acesso à rede interna da empresa onde você trabalha. Você pode imaginar o que aconteceria se o seu telefone fosse comprometido por um ataque virtual?

A Symantec observou que o malware direcionado aos dispositivos móveis cresceu 58% em 2012, o que significa que plataformas como Android, iOS, Windows Mobile e Symbian estão na mira dos criminosos virtuais, que pretendem disseminar ataques. Como efeito, 32% dos malwares para dispositivos móveis roubam informações do usuário, enquanto 15 por cento pretendem rastreá-lo.

Tendências como BYOD permitem que os funcionários usem seus dispositivos móveis pessoais para atividades profissionais e até mesmo acessem os sistemas da empresa, como os servidores de e-mail e intranet. Portanto, se o dispositivo sofre um ataque, informações corporativas e pessoais poderão ser comprometidas.

Os usuários devem estar atentos, pois um aplicativo móvel que parece inofensivo ou até divertido pode representar um alto risco, já que os criminosos podem roubar informações confidenciais e/ou controlar o dispositivo, trazendo maiores riscos tanto à segurança pessoal quanto à corporativa.