Privacidade: como protegê-la com 10 medidas incrivelmente simples

Por Redação
photo_camera PC World

Em tempos de redes sociais dos mais diversos tipos, nunca estivemos tão preocupados com nossa privacidade. Hoje, a nossa intimidade é invadida em praticamente todos os momentos, desde aquela foto de você bêbado que o amigo tirou na balada e postou no Facebook até a aparição dos nossos dados em motores de busca ou em sites que guardam o histórico de toda a nossa vida. Estamos em evidência e, para as grandes companhias, nossos dados valem ouro.

Não raramente culpamos essas companhias por "raptarem" nossos dados, nossas vidas. Como é mais fácil culpar alguém por um problema, esquecemos que, sim, existem hábitos e métodos que podemos adotar para, se não impedí-los, pelo menos dificultar o trabalho deles nesse sentido. Pensando nisso, a Forbes listou 10 medidas extremamente simples que podemos adotar para proteger a nossa privacidade.

Proteja seus dispositivos com senhas

Pode parecer estúpido, mas grande parte das pessoas simplesmente não coloca senhas nos seus gadgets. Celulares, tablets e computadores são verdadeiras minas de ouro, com dezenas de gigabytes de fotos, músicas, documentos e preferências que ajudam qualquer pessoa a definir seu perfil e sua personalidade. Lembre-se: deixar um gadget sem senha é o mesmo que deixar sua casa ou carro destrancados. Não espere se arrepender para criar uma para ele.

Seja avisado sempre que seu nome aparecer em pesquisas

Se você é uma pessoa ativa na internet, está sempre envolvido em discussões no Facebook, Twitter ou em fóruns, é possível que o seu nome apareça aqui e acolá nos resultados de busca sem sequer você saber. O Google Alert serve justamente para isso: avisá-lo quando o seu nome cair nos resultados de busca do maior site do gênero.

O processo é simples e não leva nem um minuto. Acesse o site do Google Alerts e cadastre seu nome completo, variações e nicknames que você usa online, todos "entre aspas", para que o Google te mantenha informado sempre que aparecerem resultados de busca que atendam ao critério.

Faça logout das suas contas online sempre que terminar de usá-las

Essa é outra dica que pode parecer estúpida, mas não é. Por mais que você utilize suas contas de e-mail e redes sociais em computadores pessoais, deixá-las com a opção "Permanecer conectado" marcada não é uma boa ideia. Fique atento e crie o hábito de fazer logout quando terminar de usá-las.

Essa medida não só fará com que você seja menos rastreado na internet, como também prevenirá que outras pessoas que eventualmente possam usar seu computador tenham acesso ao que é particular a você. E não é nem preciso dizer que fazer isso em computadores públicos, como em LAN Houses, é altamente recomendado, certo?

Jamais forneça seus dados de e-mail, telefone ou endereço quando solicitados

Hoje em dia a maioria das lojas tem um programa fidelidade que solicita seus dados pessoais para cadastro. Inocentemente você os fornece visando aqueles R$ 10 de desconto nas compras acima de R$ 1.000. Mas será que algum dia você parou para pensar sobre o que será feito com aqueles dados?

Muitos desses programas escondem uma cláusula que diz que todos os seus dados poderão ser utilizados pela empresa como ela bem quiser e quando bem entender. Portanto, fique esperto e pense duas vezes antes de fornecê-los.

Criptografe o seu computador

Criptografar a sua máquina significa que alguém terá que fornecer uma senha (ou chave de encriptação) antes de poder acessar o conteúdo do seu disco rígido. Atualmente os sistemas operacionais oferecem ferramentas específicas para isso.

No Mac, basta ir até as configurações, selecionar "Segurança e Privacidade", acessar o "FileVault" e habilitá-lo. Já em computadores com Windows, você pode recorrer ao Bitlocker.

Caso queira uma camada extra de proteção, os principais anti-vírus pagos do mercado são acompanhados com sistemas particulares de criptografia. No Bitlocker, por exemplo, há o Safebox. Já o McAfee conta com o Anti-Theft.

Habilite a autenticação em 2 passos

Essa pequena medida transformará seu celular num token de segurança. Isso significa que só será possível acessar sua conta em um novo dispositivo se for fornecida uma chave privada que é enviada ao celular. Portanto, mesmo que alguém consiga a sua senha por aí, a pessoa não conseguirá acessar a conta se também não tiver o seu celular.

Alguns sites já lhe permitem ativar essa função, como é o caso do Gmail, Facebook e Twitter. Ative-a!

Seja criterioso ao utilizar o cartão de crédito

Não se engane, as compras que você faz com seu cartão de crédito não ficam registradas apenas na fatura, não. Elas são utilizadas pelas administradoras de cartões para aprender mais sobre você a partir dos seus hábitos de consumo num processo conhecido por data mining. Portanto, seja criterioso nos lugares em que você "passa o cartão" e evite surpresas desagradáveis.

Altere suas configurações do Facebook

Nunca se preocupou com suas configurações de privacidade do Facebook e acha que elas estão boas do jeito que estão? Pois saiba que dezenas de milhares de pessoas perdem oportunidades de emprego por seus perfis serem abertos, ou públicos, na rede social e conter conteúdo considerado impróprio ou indesejado para alguém que ocupará uma vaga na empresa do empregador.

Faça uma visita às configurações de privacidade do seu perfil e torne-o visível "Apenas para Amigos". Se não souber como fazer isso, nós te ensinamos aqui.

Limpe seu histórico de navegação com frequência

Quando foi a última vez que você limpou o histórico de navegação do seu browser? Não lembra? Pois saiba que todas as informações de navegação que são salvas automaticamente pelo seu navegador são utilizadas por outros sites para rastrear seus hábitos e interesses.

Felizmente, hoje os navegadores dispõem de uma opção que limpa o histórico de navegação em um determinado intervalo de tempo definido pelo usuário. Vale a pena ir até lá, geralmente nas configurações de privacidade, e definir o tempo em que ele deve limpar esses dados.

Também existem alguns plugins, ou complementos, para o Firefox e Chrome que buscam reduzir a quantidade de informações que são armazenadas no computador enquanto se navega na internet. Um deles é o TACO. Vale a pena experimentá-lo.

Use proxies ou máscaras de IP

Todos os sites e provedores podem registrar os caminhos percorridos por você e seu computador na internet se registrarem o seu IP. Mas é possível evitar isso ao utilizar proxies ou abraçar de vez a navegação anônima com o Tor Browser.

Os proxies funcionam como "laranjas" do acesso à internet. Ao invés de conectar-se diretamente aos servidores de um site, seu computador passará a se conectar com esse computador intermediário, que por sua vez fará a requisição ao servidor de destino. A resposta do servidor de destino também será enviada ao proxy que, por fim, a retransmitirá para você. Um proxy muito conhecido e de fácil utilização é o HideMyAss - experimente-o.

O Tor Browser funciona de maneira semelhante, mas ao invés de se conectar a um único computador intermediário, o seu computador poderá se conectar a vários deles, e automaticamente. Além de fazer o serviço de "laranja", os computadores da chamada Tor Network também atuam como servidores finais, podendo fazer com que o conteúdo ser acessado por qualquer um que esteja na rede. E é aí que se esconde a chamada Deep Web.

Leia também: Dicas para proteger seus filhos da Deep Web – a parte obscura da rede

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.